Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Covid: Estudos preliminares não apontam imunidade completa com quarta dose

As descobertas ainda não foram revisadas por outros pares nem publicadas e o estudo foi o primeiro do tipo no mundo

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Mesmo com os avanços da eficácia das vacinas contra a covid-19, um estudo preliminar divulgado na segunda-feira (17) apontou que uma quarta dose dos imunizantes da Pfizer e da Moderna ainda não impedem totalmente a infecção pela variante Ômicron.

O Centro Médico Sheba, em Tel Aviv, aplicou a quarta dose da Pfizer em 154 funcionários e a da Moderna em 120, e um grupo de controle ficou somente com as três doses. De acordo com a diretora da unidade de Doenças Infecciosas do hospital, Gili Regev-Yochai, foi detectado um nível maior de anticorpos. “Ainda assim, provavelmente não é suficiente para a Ômicron. Nós sabemos agora o nível de anticorpos necessários para proteger e não ser infectado por ela é provavelmente alto demais para a vacina, mesmo se for uma boa vacina”, disse a médica a repórteres.

As descobertas ainda não foram revisadas por outros pares nem publicadas e o estudo foi o primeiro do tipo no mundo. Israel é uma das nações com a vacinação mais avançada no mundo, e já está aplicando a quarta dose em idosos e profissionais de saúde. A Ômicron causou um novo pico de novos casos no país em janeiro, mas não um aumento nas hospitalizações e mortes do vírus, o que é atribuído à eficácia dos imunizantes. A nova cepa, embora, seja mais transmissível, também tem demonstrado causar menos quadros sérios da doença.








Você pode gostar