Mundo

China anuncia medidas mais severas contra a covid em Pequim

Para combater a variante ômicron, que é muito contagiosa, as autoridades chinesas reforçaram a política "covid zero"

Pequim reforçará as medidas para lutar contra a covid-19, com a obrigatoriedade de um exame para que a pessoa tenha acesso a vários locais públicos, anunciaram as autoridades da capital da China. 

A decisão foi anunciada no primeiro dia de um fim de semana prolongado pelo Dia do Trabalho, uma época que os chineses geralmente aproveitam para viajar, mas que este ano frustrou os planos de milhares de pessoas. Muitos moradores devem permanecer em suas casas devido ao surto mais grave de covid na China desde que o país detectou o vírus no fim de 2019 e enfrentou a primeira onda da doença no início de 2020. 

Para combater a variante ômicron, que é muito contagiosa, as autoridades chinesas reforçaram a política “covid zero”, que consiste em testes em larga escala e confinamentos quando são detectados os primeiros casos. 

As medidas rígidas provocaram uma desaceleração da economia do país e uma frustração crescente entre a população. 

Pequim anunciou que, depois de cinco dias de recesso pelo feriado, o acesso ao espaço público será limitado e que a partir de 5 de maio será obrigatório apresentar um teste negativo de covid feito na última semana para entrar em “vários locais públicos e para utilizar os transportes públicos”.

A notícia foi divulgada na conta do aplicativo WeChat da capital chinesa. Para atividades como eventos esportivos ou viagens em grupos será necessário apresentar um exame de covid de menos de 48 horas, além de um certificado de vacinação completo. A China registrou neste sábado 10.700 novos casos de covid, a maioria em Xangai, capital econômica do país. 

Esta metrópole, na região leste do país, está em confinamento há quase um mês e é o maior foco ativo da doença no país, com quase 10.100 casos. O número, no entanto, está em queda e representa quase metade da incidência registrada no início de abril.  Em Pequim foram registrados 54 casos nas últimas 24 horas, segundo a Comissão Nacional da Saúde. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

© Agence France-Presse

Matéria publicada em 30 de abril de 2022 10:23

Redação Jornal de Brasília

Notícias Recentes

Portugal luta para controlar grande incêndio em parque natural

O incêndio, o maior no verão em Portugal, queimou até agora 24.000 hectares, mais de 8.000 desde segunda-feira

17 de agosto de 2022

Livros mostram que popularização do funk aumenta repressão e coloca bailes em risco

Lançado pela editora Lp Press, "Rio Baile Funk" capta instantâneos das festas, que não se organizam como um evento noturno…

17 de agosto de 2022

Influenciadora Mariana Barboza dá 4 dicas de como usar blazer oversize

Influenciadora Mariana Barboza ensina a usar a tendência do momento sem erros

17 de agosto de 2022

Valendo vaga na semi da Copa do Brasil, Athletico recebe o Flamengo

No último domingo, as equipes se encontraram pelo Brasileirão com um time reserva, e o Flamengo venceu por 5x0

17 de agosto de 2022

Beneficiários com NIS de final 7 recebem Auxílio Brasil

Em janeiro, o valor mínimo do Auxílio Brasil voltará a R$ 400, a menos que nova proposta de emenda à…

17 de agosto de 2022

Confira a agenda dos candidatos à Presidência para esta quarta

Lançado oficialmente o período de campanha eleitoral, confira a agenda dos 12 candidatos à presidência desta quarta

17 de agosto de 2022

This website uses cookies.