Mundo

Chávez diz que vitória de Alan García no Peru foi "duvidosa"

Por Arquivo Geral 24/09/2006 12h00

Às vésperas das eleições, there web o ex-deputado federal Roberto Jefferson decidiu revelar sua versão para a crise que abalou o governo Lula em 2005. Neste final de semana, ele lançou o livro Nervos de Aço, no qual traz as memórias entre janeiro e setembro de 2005.

Responsável pela denúncia do mensalão e com o mandato cassado após admitir que havia aceitado dinheiro do PT, Jefferson afirma, nas 375 páginas do livro, ter contado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que o PT e o PTB tinham acertado partilhar R$ 3 milhões arrecadados de empresas que prestam serviço à estatal Furnas Centrais Elétricas.

Dizendo-se eleitor de Heloísa Helena (PSOL), Jefferson afirma ainda que o acordo que permitiu o repasse de recursos a parlamentares da base aliada em troca de votos foi firmado com o então chefe da Casa Civil, José Dirceu. Embora na época tenha poupado Lula, hoje Jefferson volta atrás e acusa o presidente de saber de tudo por "ter convivido com a cúpula do PT".

No último encontro oficial com Lula, em 26 de abril de 2005, no Palácio do Planalto, Jefferson diz que Lula cobrou de Dirceu a substituição do então diretor de Furnas, Dimas Toledo, por um indicado pelo PTB. Ao receber a explicação de havia um acordo entre o partido e o PT, Lula teria, segundo o ex-deputado, saber do que se tratava o acerto.

Jefferson teria explicado que Dirceu teria proposto a divisão entre as legendas da arrecadação mensal de Furnas, "por meio de Dimas Toledo". Os recursos, segundo o livro, seriam arrecadados "entre empresas interessadas em contratos com Furnas". De acordo com o relato, Lula não aceitou a explicação e mandou Dirceu nomear Francisco Spirandel para o cargo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A desempregada Camila Cristina dos Reis Silva, pharm 20 anos, story levou dois tiros ao sair da boate Premier, visit web na QNP 10, na Ceilândia após se envolver em briga com outra jovem. O principal suspeito é o namorado da jovem, W.S.J., 26 anos.

Atingida no tórax e na perna direita, Camila foi levada ao Hospital Regional da Ceilândia e passa bem. Ao defender a namorada durante a briga, W.S.L. teria sido agredido pelos amigos de Camila e resolveu acertar as contas depois da festa, quando a vítima voltava para dormir na casa de uma amiga

Depois de ser atingida, por volta das 5h, Camila caiu numa parada de ônibus na EQNP 8/12. Apesar de nenhuma testemunha ter visto o atirador. W.S.L. foi detido e liberado durante o dia por falta de provas. No entanto, ele pode ter a prisão preventiva decretada dependendo do depoimento das testemunhas que ainda não foram ouvidas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O DF enfrentará mais uma madrugada de temporal. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para o DF e o centro-leste de Goiás. Na noite de hoje e na madrugada de amanhã, thumb está prevista chuva com trovoadas e possibilidade de granizo.

Não é somente o DF que está em alerta. De acordo com a Secretaria Nacional de Defesa Civil, dosage as áreas de instabilidade provocarão chuva forte em nove estados: Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Goiás, Espírito Santo e Minas Gerais.

Segundo o órgão, a tempestade poderá vir acompanhada de descargas elétricas e rajadas de vento entre 40 km/h e 80 km/h. A secretaria pede para que a população esteja atenta para o risco de deslizamento de encostas, morros e barreiras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Procedimento comum nas usinas de cana-de-açúcar, treat uma queimada terminou em morte no canavial da usina Unialco, em Guararapes, no noroeste paulista. Atingido pelas chamas, o cortador de cana-de-açúcar, Daniel Pereira dos Santos, 39 anos, morreu no meio da lavoura.

Sem tempo de fugir do fogo, o cortador foi carbonizado. Funcionários da usina disseram à polícia que costumam avisar os trabalhadores antes de atear fogo, mas não viram Daniel no canavial.

Somente no início da noite, quando os trabalhadores checavam a área queimada, o corpo foi encontrado pelos trabalhadores. A polícia investiga as causas do acidente.

Um assassinato trouxe mistério à Gávea, viagra bairro nobre na zona sul do Rio. Por volta das 9h, a médica Suzana Maria Ribeiro de Sá Roriz, de 51 anos, foi morta com 12 tiros perto de casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O crime ocorreu na Rua dos Oitis, próxima ao apartamento onde Suzana morava sozinha, na Praça Santos Dumont. A polícia suspeita de execução, mas investiga a hipótese de latrocínio, já que a médica foi encontrada sem a bolsa.

Com problemas mentais, Suzana não exercia a medicina desde que desenvolveu esquizofrenia, antes de completar 30 anos de idade. Familiares, no entanto, afirmam que ela era uma pessoa calma, que não bebia nem usava drogas.

Sete cápsulas foram encontradas no local do crime. Apesar de versões de que a médica teria sido abordada por cinco homens que desceram de um Fiat, a polícia não confirma a informação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um acidente entre uma carreta e um carro matou cinco pessoas no km 231 da Rodovia SP-255, unhealthy em Pratânia (SP). Por volta das 20h30 de ontem, about it o Fiat Uno placa ADQ-7178 (SP), cost invadiu a pista contrária e bateu de frente com a carreta Scania placa ICT-9287 (PR).

De acordo com a polícia, o motorista pode ter perdido o controle por causa da chuva forte que caía na hora do acidente. Os mortos eram vigilantes que voltavam a Avaré, no interior do estado. A polícia não sabe qual dos ocupantes conduzia o Uno.

Os ocupantes do carro foram identificados como Valdeci Acácio, 37 anos, Eduardo Gouveia, 29 anos, Renato Henrique Fuher Alves, 26 anos, Marcelo Pereira de Oliveira, 34anos, e Sandro Lino de Jesus, de 28 anos. O motorista do caminhão, José Osni Pires, nada sofreu.

A japonesa Honda Motor conseguiu mais uma vez. A montadora que venceu os rivais do mundo na década de 1970 ao apresentar o primeiro motor a gasolina que atendia às diretrizes dos Estados Unidos quanto à limpeza do ar sem um conversor catalítico, pill informou que desenvolveu um novo e simples sistema de motor e transmissão a diesel que é tão limpo quanto os carros movidos a gasolina.

A companhia informou ainda que desenvolveu um sistema bicombustível que funciona com qualquer prop orção de álcool e gasolina entre os níveis de 20 e 100 por cento. A montadora venderá o sistema no Brasil, maior mercado mundial para veículos movidos a álcool, ainda este ano.

"No futuro, o carro verde por excelência será o movido a bateria", disse o presidente-executivo da Honda, Takeo Fukui. "Mas, por enquanto, você precisa de uma grande variedade de tecnologia verde para atender às diversas necessidades e ofertas de combustíveis locais."

A tecnologia diesel representa um grande passo à frente por parte da Honda, em um momento em que os rivais lutam para apresentar formas para cumprir aos mais rígidos padrões relativos à regulamentação de emissões, chamados Tier II Bin 5, que os Estados Unidos vão introduzir no próximo ano.

Os motores a diesel, que atualmente impulsionam metade dos novos carros na Europa, aos poucos se tornam atraentes para os consumidores preocupados com o consumo de combustível em todo o mundo, já que normalmente conseguem uma quilometragem 30% melhor do que com gasolina. A fraqueza desses motores é o nível mais elevado de emissão de óxido de nitrogênio (NOx), um dos gases causadores do "efeito estufa".

A Honda informou neste final de semana que seu novo sistema a diesel tem uma tecnologia que gera e armazena amônia dentro de um conversor catalítico de duas camadas, transformando o óxido de nitrogênio em nitrogênio, um gás inofensivo.

Os engenheiros da Honda disseram que essa tecnologia é superior ao processo apresentado pioneiramente pela alemã DaimlerChrysler porque esse último exige o acréscimo de um sistema complexo de pesados dispositivos para gerar amônia a partir de aditivos à base de uréia. Porém, ainda existem algumas dificuldades técnicas.

O sistema precisa a diesel da Honda precisa de ajustes finos para a grande variedade de índices de cetano no diesel vendido nos Estados Unidos. A Honda também precisa desenvolver tecnologia para medir os níveis de emissão segundo as exigências do sistema OBD (On-Board Diagnostic) dos Estados Unidos.

Mas a terceira fabricante de automóveis do Japão disse ter planos de estender o avançado motor a diesel nos Estados Unidos dentro de três anos. A DaimlerChrysler, que junto com a Volkswagen já vende carros a diesel no maior mercado automotivo do mundo, prepara a sua próxima geração de carros a diesel para ser lançada em 2008.

"Da mesma forma como preparamos o caminho para motores a gasolina mais limpos, assumiremos a liderança no progresso dos motores a diesel", disse Fukui em entrevista coletiva à imprensa no centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda, ao norte de Tóquio.

Fukui disse que a Honda estará "aberta à consideração" sobre licenciar sua tecnologia diesel quando ela for aperfeiçoada.

A Honda há muito está na vanguarda da tecnologia de propulsores verdes. O avanço mais famoso talvez tenha sido o desenvolvimento, em 1973, do motor CVCC (sigla em inglês para combustão controlada por vórtex composto), que deu o nome ao seu popular Civic.

Este ano, a empresa se tornou a primeira no mundo a anunciar voluntariamente metas globais para a redu ção do dióxido de carbono de seus produtos e processos de produção.

Em uma demonstração de outras novas tecnologias de geração de energia, a Honda também exibiu um protótipo da nova geração de seu veículo movido a bateria, que funciona com um conjunto de baterias compacto e mais potente.

O novo sistema é projetado de forma a permitir que o hidrogênio e a água formados durante a geração de eletricidade fluam verticalmente e não horizontalmente, o que reduz em 20% o tamanho do conjunto e em 30% o peso do componente, em relação à sua versão anterior.

O novo carro a bateria da Honda, FCX, tem agora uma autonomia de 570 quilômetros, uma melhora de 30% em relação ao modelo de 2005, velocidade máxima de 160 quilômetros por hora e pode ser dirigido a temperaturas de até 30 graus Celsius negativos.

A Honda pretende pôr o carro no mercado, em números limitados, em 2008 no Japão e nos Estados Unidos.

 

O presidente da Venezuela, visit this Hugo Chávez, what is ed qualificou hoje de "duvidosa" a vitória de Alan García nas eleições presidenciais do Peru sobre o candidato de esquerda Ollanta Humala, a quem o líder venezuelano apoiava publicamente.

Lima e Caracas vivem uma crise diplomáticas depois que em abril retiraram seus respectivos embaixadores após Chávez ter chamado o então candidato García de "corrupto". O líder venezuelano também criticou na ocasião o ex-presidente peruano Alejandro Toledo por ter assinado um tratado de livre comércio com os Estados Unidos.

"Creio que roubaram Ollanta", disse o presidente venezuelano em uma entrevista com a imprensa local, na qual qualificou como "duvidosa" a vitória de García.

Representantes de ambos os governos chegaram a levantar a possibilidade de um encontro entre ambos os presidentes para aliviar as asperezas, mas o presidente venezuelano colocou como condição para a retomada das relações com o Peru um pedido de desculpas por parte de García, possibilidade que o presidente peruano descartou.

"A primeira coisa que disse (Alan García ao ganhar as eleições) foi: aqui há um grande derrotado, o tirano do Caribe", disse Chávez. "Esquecer, eu não. Se lá não há dignidade, aqui, sim, há dignidade", acrescentou.

García chamou Chávez de "sem vergonha" por criticar o pacto de livre comércio com os Estados Unidos enquanto mantém a Venezuela, quinto maior país exportador de petróleo do mundo, como um dos principais fornecedores da commodity ao país norte-americano.

Chávez respondeu chamando o presidente peruano de "ladrão" e ameaçou romper as relações com Lima se García vencesse as eleições.

Apesar da polêmica troca de ofensas pessoais, Chávez disse que não tem intenção de romper relações comerciais com o Peru.

 






Você pode gostar