Mundo

Adesão da Ucrânia à UE deve levar ’15 ou 20 anos’, diz França

Beaune acredita que, antes disso, Kiev poderá entrar na comunidade política europeia proposta pelo presidente da França, Emmanuel Macron

A adesão da Ucrânia à União Europeia (UE) “levará, provavelmente, 15, ou 20, anos” – estimou o ministro-delegado francês para Assuntos Europeus, Clément Beaune, neste domingo (22).

Beaune acredita que, antes disso, Kiev poderá entrar na comunidade política europeia proposta pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

“Temos que ser honestos (…) Se dissermos que a Ucrânia entrará na UE em seis meses, um ano, ou dois anos, estamos mentindo. Não é verdade. Provavelmente será em 10, ou 20, anos”, disse o ministro em uma entrevista à rádio J.

“Enquanto isso, devemos aos ucranianos (…) um projeto político, no qual eles possam entrar”, continuou.

No começo de maio, Macron propôs a criação de uma “comunidade política europeia” como um “complemento” ao processo de adesão. Ontem (21), porém, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, criticou a proposta e insistiu no início imediato do processo para a plena adesão de seu país à UE.

Neste domingo, Beaune enfatizou que a proposta de Macron “não é uma alternativa à adesão à comunidade política europeia. Não impede a adesão mais à frente”.

No plano de Macron, “pode haver livre-circulação na Europa e é possível se beneficiar do orçamento europeu para a reconstrução e a reativação de seu país, de sua sociedade e de sua economia”, completou a autoridade francesa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A questão da ampliação da UE para Ucrânia, Geórgia e Moldávia gera polêmica e divisões dentro do bloco. Alemanha e França já advertiram contra uma adesão rápida, como quer Kiev.

Em 9 de maio, Macron explicou que a Ucrânia precisaria de “décadas” para entrar na UE e sugeriu que, enquanto isso, faça parte dessa “comunidade política europeia”. Este novo arranjo institucional também poderia incluir o Reino Unido, que deixou a UE em 2020.

Os 27 chefes de Estado e de Governo do bloco devem debater o projeto francês durante a cúpula europeia prevista para fim de junho.

© Agence France-Presse

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Matéria publicada em 22 de maio de 2022 11:17

Redação Jornal de Brasília

Notícias Recentes

Emprego no DF: são 135 oportunidades

Nesta quarta-feira (28), as agências do trabalhador do DF vão oferecer 143 chances para quem deseja disputar uma vaga no mercado de…

28 de junho de 2022

Ibaneis participa da primeira reunião da nova diretoria da Fecomércio

Ibaneis também respondeu a questionamentos dos integrantes da federação sobre o setor empresarial

28 de junho de 2022

EUA anunciam novas medidas para controlar varíola dos macacos, após alta de casos

Elas também disseram que irão fornecer mais vacina contra a varíola, trabalhar para expandir os testes e adotar outras medidas…

28 de junho de 2022

Sejus alerta jovens do DF sobre risco de vapers e narguilés

Nesta quarta-feira (29) a secretaria aborda o tema em um seminário que faz parte das ações Semana Nacional de Políticas…

28 de junho de 2022

Senado aprova MP que amplia uso de Fundo Garantidor Solidário no setor rural

A MP foi aprovada em votação simbólica no Senado. O texto já havia passado pela Câmara e, agora, segue para…

28 de junho de 2022

Relator no Senado avalia rejeitar proposta de censura a pesquisas eleitorais

O senador também avalia mudanças nos dispositivos que restringem a autonomia do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

28 de junho de 2022

This website uses cookies.