Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Futebol feminino: Candangão teve 1ª rodada com goleadas

Na primeira rodada, duas equipes estreantes perderam. ARUC/Fúrias foi derrotado pelo Real Brasília por 8 a 0

O Real Brasília é o atual campeão do Candangão. Foto: Divulgação

O Campeonato Candango Feminino está de volta. Os primeiros jogos aconteceram no último final de semana. São seis times na disputa pelo título.  Na primeira rodada, duas equipes estreantes perderam. ARUC/Fúrias foi derrotado pelo Real Brasília por 8 a 0.  As jogadoras do Legião perderam para o Cresspom por 6 a 0. O Estrelinha, que ficou um ano sem competir, também não se deu bem e caiu para o Minas por 7 a 0.  Essas três equipes que perderam na primeira rodada correm por uma vaga na série A-3 do Brasileirão. As que venceram já estão em alguma divisão.

O campeonato Candango

A competição acontece em duas fases. Na primeira, todos os times jogam entre si com jogos de ida e volta e apenas duas se classificam para a final. A grande decisão acontece em partida única e o clube melhor classificado na fase de grupos tem a vantagem caso a partida termine em empate.

Conheça os seis times que estão na disputa do título do Candangão Feminino 2021.

ARUC/Fúrias

O ARUC está de volta às competições, mas dessa vez em parceria com o Fúrias, time de Sobradinho. É a primeira vez que a equipe compete no Candangão feminino e a camisa 10 da equipe, Ana Flávia, diz que a expectativa para os jogos está grande.

“Temos um elenco muito bom dentro e fora de campo. A gente vem se preparando bem, treinando forte e sempre buscando o melhor a cada dia”, explica.

A jogadora reconhece que não vai ser um campeonato fácil, mas admite que as jogadoras estão concentradas e bem preparadas para a competição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Equipe é uma das estreantes do Candangão

Legião

A outra equipe novata no Candangão também está com expectativas positivas. O técnico Signo Santos diz que busca fazer um bom campeonato, já que é o primeiro ano como equipe na competição. Segundo ele, o objetivo é surpreender. O elenco é composto por 25 jogadoras, entre elas jogadoras que já passaram pelo Minas Brasília, Gama e Aliança-GO.

“Vamos brigar pelo título e também para conquistar a vaga no Campeonato Brasileiro Série A3”, ressalta.

A preparação do time para os jogos do Candangão foi puxada. Os treinos aconteceram 3 vezes por semana, com muita intensidade. Além disso, as jogadoras também disputaram alguns amistosos.
O primeiro confronto da equipe é contra o Cresspom.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Legião também é novato no torneio (Foto: Divulgação)

Minas

O Minas Brasília tem a oportunidade de se destacar no campeonato deste ano. O time não vence um título local há dois anos e, recentemente, foi rebaixado na série A1 do Campeonato Brasileiro. Na última semana, a equipe enfrentou a Seleção Brasileira Sub-20 em jogo-treino, mas saiu derrotada com um placar de 2 a 1.

O técnico Davih Rodrigues diz que a expectativa é fazer um grande torneio e recobrar o orgulho da instituição que está abalada após a queda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Sabemos da enorme dificuldade que encontraremos no Candangão, que é um dos 4 melhores estaduais do Brasil, mas uma equipe do tamanho do Minas não pode ter outra expectativa que não seja levantar o troféu”, conclui.

O Minas disputou um amistoso contra a Seleção Brasileira (Foto: Divulgação)

Cresspom

A equipe com mais títulos no Candangão não poderia ficar de fora. Ao todo, são 7 títulos e o time busca a oitava conquista. Para os jogos desta edição, o Cresspom conta com quatro reforços: a zagueira Bruna Amarante, as volantes Baiana e Thaynara e Giovana do Santos. O técnico Robson Marinho comenta sobre as expectativas para a competição:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A expectativa é a melhor possível e o nosso objetivo é fechar o ano com chave de outro, com o acesso assegurado e nos mantendo como o maior vencedor da história do Candangão”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o time teve pouco tempo de preparação. Em agosto, o Atlético-MG eliminou a equipe da Série A2 do Campeonato Brasileiro. Mas, segundo o técnico, o time priorizou a análise e o condicionamento físico das atletas, apesar de não terem tido uma pré-temporada ideal.

O Cresspom é o maior campeão da competição (Foto: Divulgação)

Real Brasília

O Real Brasília é um dos times destaques da capital federal. A equipe é atual campeã do Candangão Feminino, além de ter vencido em 2019 também e está na busca pelo tri! No último sábado, as jogadoras entraram em campo contra a seleção feminina sub-20, mas perderam por 1 a 0.

Para compor o elenco, o Real fez a contratação de quatro jogadoras: Geovana Alves, Leme, Letícia e Roberta. Além de duas que retornaram ao time, Jhennifer e Milena.

O técnico Adilson Galdino diz que a expectativa é positiva para uma boa estreia. Ele reconhece que o time ainda não está no mesmo ritmo de jogo do primeiro semestre do ano, quando a equipe disputou a série A1 do Campeonato Brasileiro, mas acredita em uma evolução.

“Jogo a jogo a equipe vai crescer na sua performance física, técnica e tática”, explica.

O técnico ainda ressalta que vai dar continuidade no bom trabalho que o clube fez até então, para que o Real possa fazer uma boa competição e alcançar os objetivos a cada partida.

Estrelinha

Depois de 1 ano fora, o Estrelinha volta a competir no Candangão Feminino. De todos os clubes, é o que relatou maiores dificuldades na preparação do elenco para a temporada. Roseanne Delmira, treinadora do time, diz que solicitou o estádio Abadião para os treinamentos, mas a resposta da Administração Regional da Ceilândia foi negativa.

“Somos a única equipe representante da cidade e não temos nenhum apoio da gerência de esportes. Diante disso e não diferente da expectativa, estamos acostumadas com as dificuldades e falta de apoio”, desabafa.

A técnica comenta, ainda, que o time é um projeto social sem apoio e com grandes dificuldades.

“O que não nos falta é a força de vontade, sabemos dos critérios de classificação e é em cima deles que estamos trabalhando”, conclui.

O Estrelinha encontrou muitas dificuldades na preparação (Foto: Divulgação)

Por outro lado, a técnica deixa claro que a equipe está renovada com algumas atletas experientes e com a comissão técnica competente. Segundo ela, o grupo aguarda o dia do confronto para constatar o desenvolvimento da equipe.

O time é um dos três que briga por uma vaga na série A3 do Campeonato Brasileiro, ao lado do Aruc/Fúrias e Legião.

A programação completa está no site da Federação de Futebol do Distrito Federal.

Por Rayssa Loreen








Você pode gostar