Economia

Petrobras confirma interesse em investir em gás na Bolívia

Por Arquivo Geral 07/11/2007 12h00

A companhia petrolífera Petrobras confirmou nesta terça-feira o seu interesse em voltar a investir no setor do gás na Bolívia, case um ano e meio depois de suspender os seus novos projetos nesse país por causa da nacionalização dos hidrocarbonetos decretada pelo presidente Evo Morales.

O presidente da Petrobras, remedy José Sérgio Gabrielli, afirmou numa entrevista coletiva em La Paz que a estatal está considerando a “necessidade” de realizar novos investimentos para “ampliar a produção de gás” na Bolívia.

As palavras de Gabrielli confirmam o que já as autoridades brasileiras e bolivianas tinham comentado nos últimos dias. “A complementaridade é clara”, disse, ao ressaltar que o Brasil é um país consumidor de gás natural e a Bolívia um dos principais produtores da América do Sul.

A possibilidade de uma “maior colaboração” entre a Petrobras e a estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) é “real”, afirmou Gabrielli, depois de se reunir durante várias horas em La Paz com o ministro de Hidrocarbonetos da Bolívia, Carlos Villegas.

Os dois ressaltaram o início de uma “nova fase” nas relações entre os dois países, especialmente no setor dos hidrocarbonetos.

A Petrobras, maior empresa estrangeira na Bolívia, foi uma das petrolíferas mais afetadas pela decisão do presidente Evo Morales de nacionalizar os hidrocarbonetos, em maio de 2006. Desde então realiza apenas os investimentos necessários para manter as suas atividades já existentes no país.

Hoje a companhia explora na Bolívia os campos de gás natural de Santo Antonio e San Alberto e é responsável pelo gasoduto que transporta até o Brasil cerca da metade do gás consumido pelo país.

Nem Gabrielli nem Villegas ofereceram detalhes sobre possíveis novos investimentos da Petrobras na Bolívia. Eles se limitaram a afirmar que haverá “resultados” após uma nova reunião das equipes técnicas, prevista para a última semana de novembro.

A reunião servirá também para preparar a visita à Bolívia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, programada para 12 de dezembro, detalhou Villegas.

Gabrielli também não comentou a possibilidade de a Petrobras passar a operar o campo de Itaú, que hoje é de responsabilidade da franco-belga TotalFinaElf.

O alto executivo da Petrobras se reuniu de manhã em La Paz com o vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera. O presidente Morales está em visita oficial à região andina de Potosí.






Você pode gostar