Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Governo federal inicia “feirão de imóveis” na cidade do Rio de Janeiro

O evento não tem previsão geral, mas acredita que apenas 50 imóveis deverão arrecadar cerca de R$ 1,6 bilhão

Rio de Janeiro – Vila dos Atletas é entregue ao Comitê Organizador dos jogos olímpicos na Barra da Tijuca, zona oeste da capital (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Mais de 2.200 imóveis de propriedade da União participaram de feirão promovido pelo governo federal em abril. Desses, 677 estão sob gestão direta da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU) e 1.587 do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O evento, que será realizado em conjunto entre a SPU e a prefeitura do Rio, não tem previsão geral, mas acredita que apenas 50 imóveis deverão arrecadar cerca de R$ 1,6 bilhão.

Entre esses, destacam-se o icônico edifício A Noite, localizado na Praça Mauá, com mais de 38 mil m2 de área construída, e um terreno na região do Porto Maravilha, com mais de 6 mil m2, já com edital lançado e concorrência pública marcada para 13 de abril. Juntos, têm valor mínimo de venda de R$ 122,1 milhões. Outros dois estão com edital em elaboração e serão vendidos até junho: o edifício Engenheiro Renato Feio, prédio da antiga Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), com mais de 30 mil m2 de área construída, e o edifício da antiga Rádio MEC, na Praça da República, com 3,5 mil m².

“Em sua grande maioria, esses imóveis estão degradados, abandonados e sem nenhuma função social: uma verdadeira vergonha nacional”, avalia o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord. “Agora, nas mãos do setor privado, poderão ser revitalizados, gerando emprego e renda para os cariocas, não só durante o período de construção ou reforma, mas também pela atividade econômica consequente, como, por exemplo, o turismo.” O secretário da SPU, Mauro Filho, acredita que a desestatização desses imóveis “é uma frente promissora de desenvolvimento para nosso país” e que o modelo adotado no Rio poderá ser, na sequência, escalado para todo o país.

PROGRAMA SPU+ – Desde o lançamento, em dezembro de 2020, o Programa SPU+ já ofertou cerca de R$ 500 milhões em imóveis ao mercado. O programa está dividido em três planos: alienação, cessão e concessão e racionalização, e visa a ativar a economia por meio da monetização de R$ 110 bilhões em imóveis da União até 2022.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Agência Brasil






Você pode gostar