Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Bioeconomia: alternativa para a capital crescer

Por Arquivo Geral 27/03/2018 8h21
Breno Esaki/Jornal de Brasília

Matheus Venzi
[email protected]

Transformação pela bioeconomia foi o tema do seminário promovido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em conjunto com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Distrito Federal na manhã de ontem. O objetivo do encontro foi debater e apresentar soluções tecnológicas ligadas ao desenvolvimento sustentável da economia brasileira.

O conceito de bioeconomia se relaciona ao desenvolvimento e uso de produtos e processos biológicos na produtividade agrícola, pecuária, na saúde humana e na biotecnologia industrial. Esse tipo de atividade contribui diretamente para um menor impacto ambiental dessas áreas, além de poder otimizar a produção delas sem prejudicar a qualidade dos produtos.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, Igor Tokarski, o tema do seminário dialoga com os objetivos GDF na construção de políticas públicas favoráveis ao crescimento sustentável. “O governo não pode ser um empecilho. Ele deve ser um parceiro e não pode criar dificuldades. Nós precisamos encontrar novas vocações econômicas para o DF, já que não podemos depender unicamente do serviço público, e sem dúvida uma delas é a bioeconomia”, comenta.

O secretário indica que as discussões sobre o tema necessitam ser ampliadas para que a biodiversidade do cerrado seja melhor aproveitada nos modelos de desenvolvimento sustentável. “Nossas tomadas de decisão [do Governo] convergem para este caminho”, complementa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para o diretor-executivo de Inovação e Tecnologia da Embrapa, Cleber Soares, o maior desafio é tornar o tema mais conhecido. “A população tem dificuldade para reconhecer este tema. Por isso é tão importante multiplicarmos os debates sobre a bioeconomia. No Agronegócio, por exemplo, além de promover renda para pequenos agricultores, pode produzir alimentos com qualidade de vida maior para eles”, destaca.






Você pode gostar