Economia

Benefício de militares pode ser reajustado em até 37,04%, diz ministro

Por Arquivo Geral 31/10/2007 12h00

O adicional militar, try benefício que pode aumentar a remuneração dos militares e é variável de acordo com a patente, pode ser reajustado em até 37,04%, disse hoje o ministro da Defesa, Nelson Jobim, em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e da Defesa Nacional da Câmara dos Deputados. A proposta está sob análise do ministério e foi repassada pelo ex-titular da pasta, Waldir Pires.

Se aprovado, o aumento deverá ser dado em duas fases: a primeira ainda neste ano e a outra, em setembro de 2008. Um cadete do Exército, por exemplo, receberia um reajuste de 20,29% em 2007 e o restante, 13,28%, em 2008. A medida se estenderia a inativos e pensionistas.

De acordo com o ministro Jobim, o impacto para a folha de pagamento deste ano seria de R$ 1,68 bilhão e de R$ 5,89 bilhões no próximo ano. A previsão de gastos com o pagamento de militares neste ano é de R$ 33 bilhões.

O ministro reconheceu que a remuneração dos militares é inadequada e inferior à de grande parte dos servidores públicos, mas não garantiu equiparação salarial. “A questão [da remuneração] é um grande problema. Mesmo se chegarmos ao reajuste em análise, um oficial em fim de carreira ainda receberia menos do que um juiz substituto da Justiça Federal em início de carreira”, comparou.

Jobim argumentou que o posicionamento de parte dos deputados – favorável a corte de gastos – prejudica a previsão de reajustes mais significativos. “Qual é o discurso que o senhores estão fazendo na Câmara? Redução de despesas”, criticou.






Você pode gostar