Brasil

Prefeitura do Rio recebe primeiro lote de vacinas Coronavac enviado pelo Estado

Ainda nesta terça-feira, a Secretaria Municipal de Saúde planejava começar a vacinar os profissionais do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla

A Prefeitura do Rio recebeu, na tarde desta terça-feira, 19, o primeiro lote com 115.920 doces da vacina Coronavac contra a covid-19, enviado pelo governo do Estado do Rio à central de distribuição de medicamentos e insumos do município, em Jacarepaguá (zona oeste). Conforme o plano de imunização, divulgado na segunda-feira, 18, pelo prefeito Eduardo Paes (DEM) e pelo secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, as primeiras pessoas vacinadas serão os profissionais de saúde que atendem pacientes com coronavírus.

A farmacêutica Yasmin Oliveira, responsável técnica pela operação de logística da central de distribuição, não escondeu a emoção ao ver a chegada das vacinas: “Fazer parte desse momento histórico de recebimento da vacina é incrível e emocionante. Nosso papel é receber, conferir e distribuir essa vacina dentro de todos os padrões de qualidade, de boas práticas de transporte e armazenagem”, afirmou a profissional. “A imunização é extremamente importante, é uma esperança. Mas a gente precisa continuar se protegendo, continuar com as medidas que vem tomando, para que em breve, num futuro próximo, consigamos retornar para as nossas rotinas normalmente.”

Ainda nesta terça-feira, a Secretaria Municipal de Saúde planejava começar a vacinar os profissionais do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari (zona norte).

A unidade é a principal referência da rede municipal para o tratamento da covid-19, com 380 leitos, e conta com mais de mil funcionários da área assistencial, fora o pessoal de apoio, como maqueiros, administrativos e faxineiros.

A técnica de enfermagem Dulcinéia da Silva Lopes, de 59 anos, que foi primeira pessoa a tomar a vacina no Rio, na segunda-feira, 18, aos pés do Cristo Redentor, trabalha na unidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também serão priorizados neste primeiro momento idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência, além dos trabalhadores desses estabelecimentos.

As demais fases da vacinação, voltadas a outros grupos prioritários definidos pelo Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, serão realizadas conforme novas remessas de vacina forem recebidas pelo município.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar