Brasil

PF apura superfaturamento na compra de máscaras no Maranhão

Grupo suspeito das fraudes é formado por ex-servidores públicos e representantes de empresa

A Polícia Federal apura um grupo suspeito de fraude e superfaturamento na compra de equipamentos voltados ao combate à pandemia de covid-19 em São Luís-MA. O bando é formado por ex-servidores públicos e representantes de empresa.

São cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e cinco de constrição patrimonial.

O alvo da investigação é um processo de licitação realizado no mês de abril de 2020, pela Secretaria Municipal de Saúde de São Luís, destinado à aquisição de 20 mil máscaras FPP2, no valor total de R$ 718 mil. A PF ressalta que, os fatos investigados não dizem respeito à atual gestão da Secretaria.

Durante a investigação, a polícia colheu elementos que indicam que funcionários da antiga gestão da Secretaria de Saúde, em parceria com empresários, fraudaram o contrato, montando o processo de contratação e elevando os preços de forma abusiva.

Ainda segundo a PF, se forem confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por fraude à licitação, superfaturamento e associação criminosa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A operação foi denominada “Tempo Real”, em referência à expressão utilizada por um dos investigados em depoimento, ocasião em que afirmou que o líder da organização criminosa tinha informação em tempo real de todas as aquisições fraudadas pela antiga gestão da Secretaria Municipal de Saúde e pelos fornecedores.






Você pode gostar