Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Congresso, Alvorada, STF e outros de Niemeyer são tombados pelo Iphan

As obras de Brasília foram inicialmente aprovadas em 2007 pelo conselho consultivo do Iphan para o tombamento

Belo Horizonte, MG

O Instituto do Patrimônio e Artístico Nacional anunciou nesta quinta (22) o tombamento em definitivo do conjunto da obra do arquiteto Oscar Niemeyer. De acordo com o Iphan, o conjuntou já era tombado, mas a com a publicação do comunicado de tombamento, o processo é concluído agora com um ato normativo.

São obras de São Paulo, Rio de Janeiro e da cidade fluminense de Niterói, mas a maioria das que foram tombadas fica no Distrito Federal. As obras de Brasília foram inicialmente aprovadas em 2007 pelo conselho consultivo do Iphan para o tombamento. O conjunto arquitetônico da Pampula, em Belo Horizonte, também de Niemeyer, é tombado pelo Iphan desde 1997.

Em São Paulo, foram tombados em definitivo as edificações projetadas por Niemeyer no parque do Ibirapuera –o Palácio das Artes, o Palácio das Nações, o Palácio dos Estados, o Palácio da Indústria, o Palácio da Agricultura e a grande marquise.

No Rio de Janeiro, foram tombados o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, a Passarela do Samba, e a Casa das Canoas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No Distrito Federal, ficam tombados Congresso Nacional, Palácio da Alvorada, Palácio Jaburu, Quartel General do Exército, Supremo Tribunal Federal, Palácio do Planalto, os blocos ministeriais e anexos, Palácio do Itamaraty e anexos, Palácio da Justiça, Capela Nossa Senhora de Fátima, Casa de Chá, praça dos Três Poderes, o monumento do Pombal, Touring Club do Brasil, Conjunto Cultural da República -Museu da República Honestino Guimarães e Biblioteca Nacional Leonel de Moura Brizola–, Espaço Oscar Niemeyer, Conjunto Cultural da Funarte, Memorial dos Povos Indígenas, Memorial JK, Teatro Nacional Cláudio Santoro, Panteão da Liberdade e Democracia Tancredo Neves, Teatro Nacional Cláudio Santoro, Espaço Lúcio Costa e Museu da Cidade.

As informações são da Folhapress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar