Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Após pressão, Telegram recomenda canal do TSE contra fake news

Para conseguir o desbloqueio, a empresa assumiu compromissos com o STF, envolvendo moderação e combate à desinformação

Por FolhaPress 25/05/2022 5h59
Aplicativo de mensagens Telegram

Fábio Zanini
São Paulo, SP

Dias após assinatura de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o Telegram enviou uma mensagem aos seus usuários recomendando o acesso ao canal da corte eleitoral para evitar fake news a respeito das eleições brasileiras.​

“Para não cair em fake news sobre as eleições no Brasil em 2022, entre no canal oficial do Tribunal Superior Eleitoral no Telegram”, diz o texto, que inclui o link para o canal do TSE na plataforma.

Na mesma mensagem, o Telegram também recomenda acesso ao canal do Ministério da Saúde para atualizações a respeito da situação da Covid-19 e esforços para a vacinação e de saúde pública no Brasil.
Telegram e TSE assinaram contrato na segunda-feira (16), após a plataforma ter entrado na mira do Judiciário brasileiro e assumido compromissos contra as fake news. O Telegram abriga comunidades com milhares de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em março, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, acolheu pedido da Polícia Federal e determinou que as plataformas e provedores de internet bloqueassem o funcionamento do Telegram em todo o Brasil.

Para conseguir o desbloqueio, a empresa assumiu compromissos com o STF, envolvendo moderação e combate à desinformação e aderiu ao programa de enfrentamento à desinformação nas eleições da corte eleitoral.

Dias depois, o Telegram também aderiu ao programa de enfrentamento à desinformação nas eleições do TSE. Até então a empresa vinha ignorando as tentativas de contato da Justiça Eleitoral.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar