Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Ao menos 49 pacientes com Covid esperam vagas em hospitais na Grande SP

Os casos de Covid-19 estão em ritmo acelerado, principalmente no interior do estado, devido à variante ômicron do novo coronavírus

Por FolhaPress 28/01/2022 7h29
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Fábio Pescarini
São Paulo, SP

Ao menos 49 pacientes em municípios da Grande São Paulo estavam à espera de transferências para UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) ou leitos comuns em hospitais de referência para tratamento de Covid-19 na manhã desta sexta-feira (28).

Entre a tarde desta quinta (27) e a manhã desta sexta, a reportagem procurou 38 prefeituras de municípios da região metropolitana e 11 delas afirmaram que havia pacientes com Covid à espera de vagas via Cross (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), serviço vinculado à Secretaria de Estado da Saúde.

Os casos de Covid-19 estão em ritmo acelerado, principalmente no interior do estado, devido à variante ômicron do novo coronavírus.

Segundo a pasta do governo João Doria (PSDB), a Cross auxilia na identificação de uma vaga no hospital mais próximo e apto a cuidar do caso.

Por meio de um site, um serviço médico com paciente que precisa de transferência procura a central de regulação para descobrir onde há vagas para ambulatórios, leitos e urgências, entre outros. A transferência é feita apenas após autorização.

“O papel da Cross não é criar leitos”, afirma a secretaria, em nota. “A transferência de um paciente não depende exclusivamente de disponibilidade de vagas, mas também de quadro clínico estável, livre de infecções, que permita o deslocamento a outro serviço de saúde para sua própria segurança.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A pasta estadual diz que há ainda regulações municipais ou regionais, e da União.

De acordo com o Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente), do governo estadual, na quinta havia 548 casos de regulação via Cross para Covid-19 no estado, sendo que 35,2% (193) eram para UTIs adultas.

No início da semana, duas idosas, de 73 e 85 anos, morreram em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Jales (a 585 km da capital) à espera de transferências para UTIs em São José do Rio Preto (a 483 km da capital). As duas mulheres, que tinham comorbidades, estavam internadas com o novo coronavírus em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Segundo o médico Renato Grinbaum, infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, são encaminhados para UTIs pacientes com instabilidades, que não conseguem manter pressão arterial ou respirar de forma adequadamente, com risco de uma parada cardíaca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar de muitas vezes haver urgência no tratamento intensivista, de acordo com as prefeituras consultadas pela reportagem, a espera para se conseguir vaga via Cross em leitos de referência pode chegar a 72 horas.

Cotia, com 14 pessoas, Suzano (10) e Itapevi (9) são as cidades com mais pacientes com Covid-19 na fila de transferências.

Em Cotia, a prefeitura afirma que prontos-atendimentos municipais não têm unidades de tratamento intensivo, mas dispõem de 11 leitos vermelhos, que equivalem a UTIs. Os casos de transferências são para hospitais estaduais referenciados no tratamento do novo coronavírus, segundo a administração municipal.

Em Suzano, os pacientes à espera de vagas estão internados no Pronto-Socorro Municipal e aguardam tanto leitos de UTI quanto de enfermaria. “Neste período, eles recebem assistência necessária com suporte ventilatório”, afirma a prefeitura, em nota. O mesmo ocorre em Caieiras, que tinha uma pessoa na fila na manhã desta sexta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em Itapevi, atualmente a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 75%, segundo a Secretaria de Saúde do município. A média na região metropolitana, de acordo com o governo Doria, é de 78,4%, e no estado, de 69,7%.

Em Francisco Morato, com quatro pacientes na fila de regulação, não há leitos de UTI e o município afirma depender de hospitais de referências do governo do estado.

Na última quarta (26), o governo anunciou mais 700 leitos exclusivos para tratamento de Covid-19 no estado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O número de UTIs no SUS [Sistema Único de Saúde] de São Paulo praticamente triplicou na pandemia, saltando de 3,5 mil para mais de 10 mil”, diz a pasta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em Barueri, entre as quatro pessoas que entraram na fila por transferências entre a noite de quinta e a manhã de sexta, há duas crianças.

Segundo mostrou o jornal Folha de S.Paulo, ao menos sete estados brasileiros estão com uma ocupação de mais de 80% dos leitos de UTI pediátricos para o tratamento de crianças com Covid-19.

Mauá, com um paciente na fila, afirma que “o município também tem enfrentado demoras pontuais para retorno do Cross para outras doenças”.

De acordo a plataforma SP Covid-19 Info Tracker, criada por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) e da Unesp (Universidade Estadual Paulista), com apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), as internações de pacientes com Covid-19 no estado subiram 21,33% em uma semana. No caso das hospitalizações em leitos de UTI, a alta foi de 22,46%. Os dados são de quinta-feira.

De acordo com os estatísticos das universidades paulistas, os números são maiores na Grande SP, com alta de 24,45% nas internações nas hospitalizações em geral para casos do novo coronavírus e 28,38% em UTIs.

Segundo o governo do estado, há cerca de 2.000 pessoas com Covid-19 internadas em unidades de terapia intensiva no estado.

“A transferência para uma UTI é um momento de esperança porque serão despendidos recursos e tempo com a grande expectativa de que as pessoas vão se recuperar, de preferência sem sequelas”, diz o médico Renato Grinbaum .

O QUE LEVA UM PACIENTE COM COVID À UTI

  • Falta de ar, saturação baixa ou precisa de uma assistência respiratória
  • Quando a pressão e a a capacidade de nutrição dos órgãos é prejudicada e é preciso adotar medidas de proteção
  • Casos de trombose, especialmente embolia pulmonar com risco de se ter tanto problemas respiratórios quanto circulatórios

NA FILA

Municípios – Pacientes à espera de vagas
Cotia – 14
Suzano – 10
Itapevi – 9
Barueri – 4
Francisco Morato – 4
Franco da Rocha – 3
Caieiras – 1
Embu das Artes – 1
Mauá – 1
Ribeirão Pires – 1
Rio Grande da Serra – 1
Total – 49

Fonte: Prefeituras








Você pode gostar