Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Vereador que quer proibir o VAR no Rio também quer proibir o pau de selfie

Segundo o parlamentar, o pau de selfie pode ser usado para agressão em casos de brigas e “atrairá o ladrão” quando o celular for acoplado no equipamento

Publicado

em

Foto: Sergei Karpukhin/Reuters
PUBLICIDADE

O vereador Antonio Jose Papera de Azevedo, conhecido como Zico, chamou atenção nesta quarta (16) quando apresentou um projeto de lei na Câmara Municipal do Rio para proibir a atuação do VAR, o árbitro de vídeo, em partidas de futebol na cidade. Em contato com a reportagem, o vereador justificou sua proposta como “um grito pelo futuro do futebol”.

“O VAR está acabando com o futebol. Hoje você entra no estádio e não sabe a hora que vai sair. Ninguém comemora mais gol, só se comemora o VAR. Depois do jogo a imprensa não fala mais do jogo, só fala do VAR”, afirmou o vereador, que é vascaíno, presidente do clube Campo Grande, do Rio, e foi eleito pelo PTB (Partido Trabalhista Brasileiro).

Var tem ganhado espaço no Brasil aos poucos. Foto: Reuters

Por ter eleitores no futebol de várzea da cidade, Zico tem apresentado vários projetos de lei relacionados a práticas esportivas. Um dos mais curiosos é o PL 762/2018 que “dispõe sobre a proibição da entrada e utilização de bastão de mão monopod, conhecido como pau de selfie, em espetáculos de grande aglomeração popular e em estádios de futebol”.
Segundo a proposição, de março do ano passado, seria considerado “aglomeração popular” qualquer evento que reúna mais de cem pessoas, ocasião em que estaria proibido o uso do pau de selfie. Segundo o parlamentar, o pau de selfie é uma arma e pode ser usado para agressão em casos de brigas.

“Sem contar que a ostentação do celular no bastão atrairá o ladrão e mais insegurança para quem está por perto”, escreveu Zico na justificativa do projeto. “Acreditando que é melhor prevenir do que remediar, vamos deixar o utensílio para ser utilizado em reuniões familiares e de amigos quando, certamente, a sua utilização será somente para o lazer. Pela sua importância, conto com o apoio dos meus pares para a aprovação desta Lei”, concluiu. O PL do pau de selfie já passou por quatro comissões da casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro projeto de lei do vereador, de dezembro de 2013, tentava permitir a escolinhas de futebol a contratação de ex-jogadores sem formação acadêmica como treinadores. O próprio vereador pediu o arquivamento do projeto depois de protestos de profissionais formados em educação física. Mas Zico não se dá por vencido e pretende apresentar nova proposta sobre o tema. “Sou a favor que em todas as escolinhas tenha um ex-jogador de futebol, porque o garoto tem que aprender com quem jogou”, disse.
Apesar de o PL que proíbe o VAR ter pouca chance de ser aprovado e sancionado pelo prefeito do Rio, o vereador Zico afirma que vai lutar com todas as suas forças para fazê-lo tramitar.

Questionado sobre a pertinência de um parlamentar municipal tentar interferir nas regras de um esporte que tem suas próprias instâncias reguladoras, Zico afirmou que “o vereador representa o povo.”
“Estou dando um grito que a população está dando. Essa é a voz do povo, e a voz do povo é a voz de Deus. Entendo que o futebol tenha Fifa, Conmebol, mas vamos deixar eles empurrarem isso goela abaixo e aceitar?”

Folhapress


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade