fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Mãe de brasileira morta nos EUA teme que os culpados fiquem impunes

“Só quero enterrar a minha filha. Esses dias estão muito sofridos, estou muito triste, não tem explicação um crime tão bárbaro.”

Avatar

Publicado

em

Foto: Arquivo pessoal
PUBLICIDADE

A jovem Ana Paula Braga, de 24 anos, foi assassinada dentro da residência onde morava, em Los Angeles, nos Estados Unidos. A mãe da vítima, Delma Félix, de 50 anos, falou com a filha pela última vez no dia 29 de janeiro. Os suspeitos enviaram vídeos para Delma, onde aparecem confessando o crime.

A mãe teme que os culpados fiquem impunes, devido a lentidão do processo.

“Desejo é que exista justiça. No meu caso, deportando esses caras para serem julgados nos Estados Unidos, porque a gente sabe que aqui o negócio é lento — tanto que acaba virando refúgio de bandido”.

Thiago Philipe Souza Bragança e Wanderson Júnior Dalbem Silva confessaram o crime, eles estão presos no Brasil desde 22 de fevereiro após uma ação das polícias Federal e Civil do Espírito Santo. O corpo da vítima ainda não foi encontrado. A polícia acredita que, após o crime, os suspeitos teriam jogado o corpo de Ana Paula em uma lixeira na cidade de Desert Hot Springs, Califórnia.

“Só quero enterrar a minha filha. Esses dias estão muito sofridos, estou muito triste, não tem explicação um crime tão bárbaro. Eles debocharam depois de matá-la. Ver o sangue da minha filha no chão da casa dela foi algo muito desesperador. Quando vi as imagens, nem pensei ser trote porque meu coração já me dizia que algo de ruim acontecia”, diz Delma a Universa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O caso

Ana Paula era conhecida por abrigar brasileiros no país, onde morava há 5 anos. Ela se relacionou com um norte-americano no Brasil, com quem teve um filho, e decidiu morar com ele nos Estados Unidos. Um pouco menos de um anos depois, o relacionamento acabou e Ana enfrentou dificuldades. Nesse período ela contou com a ajuda de outros brasileiros, o que a motivou a ajudar estrangeiros no país.

Ela havia entrado em contato com os suspeitos pela internet e ofereceu abrigo para eles. Após algum tempo, Ana Paula informou à mãe que estava com medo dos novos hóspedes. “Ela falou: ‘Mãe, estou com medo desses caras’. Eu sugeri que ela falasse para eles irem embora porque eu chegaria para morar lá”, relatou a mãe ao Portal UOL.

A mãe contou que pretendia se mudar para o país e residir com a filha. Ela explicou que a filha ligava todos os dias, por volta das 13h, mas no dia 30 de janeiro, a dona de casa não recebeu notícias da filha.

Após o crime, Thiago e Wanderson seguiram no carro da vítima até Oklahoma City, em Oklahoma, onde abandonaram o veículo. Em seguida, eles foram até o Texas, cruzando a fronteira de ônibus até a Cidade do México. Os suspeitos chegaram ao Brasil no dia 7 de fevereiro. Do Rio de Janeiro eles partiram para o Espírito Santo. No dia 11 de fevereiro, Thiago pediu dinheiro a parentes e confessou à família que havia matado Ana Paula nos Estados Unidos. Os parentes do suspeito informaram à Polícia Militar sobre o crime. A Polícia Federal foi acionada e os homens foram presos.

Ambos estão presos desde 22 de fevereiro. Eles estavam em Cariacica, região metropolitana de Vitória. O caso é apurado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, da Polícia Civil, e pela Polícia Federal, que investigará o caso com o apoio das provas recolhidas pelas autoridades americanas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade