Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Com máscara de idoso, homem tenta assaltar banco em Santa Catarina

Schirmer veio de Curitiba (PR) de ônibus com o plano na cabeça: se fantasiar de idoso e assaltar o banco sem falar uma palavra

Publicado

em

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Um homem fantasiado de idoso tentou assaltar uma agência bancária em Jaraguá do Sul, no interior de Santa Catarina. O caso aconteceu no começo da tarde dessa segunda-feira (12), no centro da cidade.

Segundo a polícia, Alexis Schirmer, 36, era ex-funcionário da agência. “Ele passou cinco anos trabalhando como caixa, mas se desligou do banco há cerca de um ano”, disse o delegado regional de Jaraguá do Sul, Fabiano Silveira.

Às 12h30 a Polícia Militar foi chamada para atender uma ocorrência na região central. Tratava-se de um assalto a banco.

Schirmer veio de Curitiba (PR) de ônibus com o plano na cabeça: se fantasiar de idoso e assaltar o banco sem falar uma palavra.

“Ele chegou de ônibus e foi de táxi até a agência. Lá ele pediu para o taxista esperar que ele já voltava. Ao entrar na agência ele foi até o caixa com um bilhete anunciando o assalto”, conta o delegado.

No bilhete estava escrito: “Isso é um assalto. Olhe o meu paletó. Vamos manter a calma. Pegue a bolsa, coloque os envelopes e o dinheiro que tiver a mão. Disfarce, sem alarde. Ninguém precisa se machucar. Entendeu?”.

De acordo com o delegado, Schirmer vestia um terno preto e estava com um simulacro de arma na cintura. Ele ainda usava uma boina e óculos escuros. Assustada, a funcionária rendida caiu no chão e o homem fugiu. Ao tentar escapar por uma janela, ele caiu em cima de um carro no estacionamento do banco. Schirmer quebrou a perna e está hospitalizado.

A polícia ainda encontrou uma arma de verdade e munição em uma bolsa que havia ficado dentro do táxi. O motorista que levou Schirmer para o local do assalto foi ouvido pela polícia e liberado, pois, segundo o delegado “ele não tem nenhuma relação com o crime”.

O homem, que não tinha nenhum antecedente criminal, segue internado e deverá ser transferido para um presídio local após alta médica.

No início do mês, o presidiário Clauvino da Silva, 42, tentou fugir do Complexo de Gericinó, no Rio, utilizando uma máscara de látex, peruca e roupas da filha. Não deu certo: foi detido por agentes penitenciários e transferido de Bangu 3 para Bangu 1.

Ele foi encontrado morto em sua cela na manhã da terça-feira (6). Ainda faltavam 15 anos para que ele pudesse progredir de regime.

Foi o fim de uma vida marcada por passagens pela polícia. A ficha criminal de Clauvino, ao qual a reportagem teve acesso, possui mais de 10 páginas. Ele foi condenado a mais de 70 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, latrocínio e roubo qualificado.

Em uma dessas ocasiões, em 2001, invadiu a residência de um caseiro e sua família, em Angra dos Reis, e com emprego de grave ameaça e com a ajuda de um comparsa roubou itens de valor. O Ministério Público ressaltou em denúncia que os criminosos impuseram “enorme terror” às vítimas.

Segundo elas narraram, a todo o momento Clauvino e o comparsa diziam que estuprariam a mulher e a filha do casal, de cinco anos, que dormia. Clauvino teria encostado a arma na cabeça da criança e desferido coronhadas contra o caseiro. A invasão durou cerca de cinco horas.

Em nota, a Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) informou que será instaurada uma sindicância para apurar os fatos. A Polícia Civil também está investigando o caso. Folha de S. Paulo.


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade