Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Milhares de evacuados por incêndio em Los Angeles

O chamado Getty Fire começou durante a noite perto de uma autopista e se propagou rapidamente para o sul e para o oeste, queimando 202 hectares 

Publicado

em

Publicidade

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Um incêndio florestal que começou nesta segunda-feira (28) de manhã perto do famoso museu Getty Center em Los Angeles já destruiu várias casas e levou à evacuação de milhares de pessoas.

O chamado Getty Fire começou durante a noite perto de uma autopista e se propagou rapidamente para o sul e para o oeste, queimando 202 hectares e obrigando as pessoas a saírem de suas casas.

Entre eles estava LeBron James, estrela dos Lakers de Los Angeles, que relatou no Twitter que teve que sair de sua casa no elegante bairro de Brentwood durante a noite.

“Estes incêndios em Los Angeles não são brincadeira”, escreveu. “Tive que sair da minha casa de emergência e fiquei dirigindo com minha família tentando conseguir quartos. Não tive sorte até agora!”.

Mais tarde, tuitou que havia encontrado alojamento.

O ator e ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger disse que teve que abandonar sua casa junto com sua família.

“Saímos a salvo às 3:30 da manhã”, indicou no Twitter. “Se você está em uma zona de evacuação, não faça besteira. Saia daí. Neste momento estou grato por termos os melhores bombeiros do mundo, os verdadeiros heróis que assumem riscos para proteger os moradores californianos”.

O Getty se une à série de incêndios florestais que atingem a Califórnia na última semana, forçando evacuações maciças e cortes de eletricidade que afetam milhões de pessoas.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, declarou neste domingo o estado de emergência em todo o estado quando um incêndio – batizado Kincade – na região vinícola de Sonoma, ao norte de San Francisco, se expandiu sem controle devido aos fortes ventos, obrigando 180.000 pessoas a saírem de suas casas.

O Kincade, que começou na quarta-feira passada, devastou uma área de mais de 26.700 hectares, ou 267 km2, segundo o boletim de segunda-feira de manhã, que detalhou que só estava contido em 5%.

Os bombeiros combatem outra dezena de focos desde a última semana, alimentados pelos ventos, pela baixa umidade e pelas altas temperaturas.

– “Estamos devastados” –

Já seguras em um abrigo em Petaluma, Califórnia, as pessoas forçadas a evacuar devido ao Kincade recordaram como tiveram que sair apressadas.

“A polícia veio com alto-falantes. Não esperávamos”, disse Kathy Amundson, que fugiu com sua mãe de 90 anos de idade, presa a uma cadeira de rodas. “Parece que nossa casa está segura agora, mas o medo é que o vento continue soprando e gere novos incêndios”.

Outros não tiveram tanta sorte. As chamas destruíram dezenas de casas e vinhedos, incluindo a famosa bodega Soda Rock, de 150 anos de antiguidade.

“Vimos as notícias, estamos devastados”, expressaram os proprietários do local em uma mensagem no Facebook, na qual acrescentaram que todo o pessoal da bodega, situada na cidade de Healdsburg, 112 km ao norte de San Francisco, está a salvo.

Pelo menos dois hospitais em Santa Rosa evacuaram seus pacientes durante o fim de semana.

As autoridades disseram que mais de 3.000 pessoas lutam contra o incêndio Kincade, que não deve ser totalmente controlado antes de 7 de novembro.

Os bombeiros tentam evitar que o fogo se propague para o oeste, rumo ao Oceano Pacífico, áreas que não registram incêndios desde a década de 1940 e onde a vegetação é densa e seca, o que fornece combustível para as chamas.

As 180.000 pessoas sob ordens de evacuação obrigatória estão em partes de Santa Rosa e em uma grande faixa do condado de Sonoma. Cerca de 80.000 estruturas estão ameaçadas, segundo o escritório do xerife do condado.

As autoridades disseram que a área permaneceria em alerta vermelho até segunda-feira, enquanto a polícia intensifica seus esforços para custodiar as propriedades evacuadas e evitar os saques.

Em uma tentativa de reduzir o risco de incêndios, a maior empresa de serviços públicos da Califórnia, Pacific Gas & Electric (PG&E), cortou o fornecimento de eletricidade a centenas de milhares de clientes no norte e centro da Califórnia.

A empresa foi alvo de um intenso escrutínio depois de que se soube que uma de suas linhas de transmissão pode ter provocado o Kincade. A mesma coisa aconteceu em 2018, quando o mesmo tipo de linha causou o incêndio Camp, o mais mortífero da história da Califórnia, que deixou 86 mortos.

A PG&E, que se declarou em falência no início deste ano, foi acusada de vários outros incêndios no estado nos últimos anos.

Com informações AFP.


Você pode gostar
Publicidade