fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Mais de 3 bilhões de pessoas ficam em casa por pandemia (balanço AFP)

Dos aproximadamente 7,8 bilhões de habitantes do planeta (segundo avaliação da ONU), cerca de 2,3 bilhões estão sob confinamento obrigatório

Avatar

Publicado

em

foto: AFP
PUBLICIDADE

Mais de 3 bilhões de pessoas em quase 70 países ou territórios foram instados a permanecer em casa para combater a disseminação do Covid-19, de acordo com um balanço realizado nesta quarta-feira a partir de um banco de dados da AFP.

A maioria dos territórios afetados decretou o confinamento obrigatório, como é o caso da Índia, Espanha, Reino Unido, França, Itália, Argentina, Colômbia e vários estados norte-americanos.

O Panamá é o último país a ingressar nesta lista e a África do Sul já anunciou a mesma medida para sua população a partir de quinta-feira. Outros decretaram toque de recolher, quarentena ou simplesmente emitiram recomendações quase obrigatórias.

Dos aproximadamente 7,8 bilhões de habitantes do planeta (segundo avaliação da ONU), cerca de 2,3 bilhões estão sob confinamento obrigatório em cerca de 40 países ou territórios.

foto: AFP

Essas populações, no entanto, podem sair de casa para ir trabalhar, se necessário, para comprar itens essenciais ou por razões médicas.

Pelo menos sete países ou territórios (mais de 416 milhões de pessoas), entre os quais o Irã, a Alemanha ou o Canadá pediram que sua população ficasse em casa, embora sem coerção. A Rússia entrou nesta lista na quarta-feira.

O toque de recolher, implementado com diferentes horários noturnos, afeta pelo menos 18 países ou territórios, ou seja, cerca de 300 milhões de habitantes.

Esse é o caso do Egito ou do Chile. O Equador impôs um toque de recolher mais rigoroso: dura 15 horas e somente é permitido sair de casa entre as 05h00 e as 14h00.

Pelo menos cinco países colocaram em quarentena suas principais cidades, com proibições de entrada ou saída: República Democrática do Congo, Arábia Saudita e Azerbaijão. No total, são cerca de 30 milhões de habitantes.

Agence France-Presse


Leia também
Publicidade