fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Irã vai enriquecer “qualquer volume” de urânio que quiser, diz presidente

Os comentários de Rouhani vêm num momento de elevadas tensões entre Irã e EUA em relação ao acordo, que Trump, abandonou há mais de um ano

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, alertou hoje parceiros europeus em seu acordo nuclear que Teerã irá ampliar o enriquecimento de urânio para “qualquer volume que quisermos” a partir de domingo (07), intensificando a pressão para que a Europa apresente uma solução para sanções dos Estados Unidos que têm o país persa como alvo.

Os comentários de Rouhani vêm num momento de elevadas tensões entre Irã e EUA em relação ao acordo, que o presidente americano, Donald Trump, abandonou há mais de um ano.

Na segunda-feira (01), autoridades admitiram que o Irã ultrapassou o limite estipulado no acordo para a estocagem de urânio enriquecido. 

Rússia 

 Sergei Lavrov. Foto: Reuters

Ainda nesta terça (2) o chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, pediu ao Irã que respeite os pontos-chave do acordo nuclear assinado em 2015. Na segunda-feira, o governo iraniano anunciou que violou, pela primeira vez, o limite de armazenamento de urânio de baixo enriquecimento, estabelecido em 300 quilos. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou a informação.

Fazemos um chamado a nossos colegas iranianos para que mostrem moderação, não cedam em nenhum caso às emoções e respeitem os pontos-chave das garantias oferecidas à AIEA”, declarou Lavrov, depois de se reunir com o chanceler da Irlanda, Simon Coveney.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2015, o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) foi assinado pelo Irã e por cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – EUA, Reino Unido, França, China e Rússia – além da Alemanha. Pelo compromisso firmado, os iranianos concordaram em limitar seu enriquecimento de urânio sob a vistoria de inspetores da ONU em troca da suspensão das sanções econômicas.

Desde que Donald Trump assumiu a presidência dos EUA, porém, a Casa Branca vem endurecendo as sanções e isolando Teerã. Em maio de 2018, Trump decidiu retirar o país do acordo – que havia sido uma promessa de campanha.

Nesta terça, Lavrov pediu que os países europeus cumpram seus compromissos e implementem um mecanismo criado para contornar as sanções econômicas dos EUA, mantendo o fluxo comercial com o Irã

De acordo com o chanceler russo, sem o novo mecanismo financeiro, com o qual se realizarão transações com o Irã, “será muito difícil manter um diálogo efetivo para conservar o JCPOA”.

Para Lavrov, foram as sanções americanas que forçaram Teerã a superar os limites de suas reservas de urânio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Em maio, os EUA aprovaram um novo pacote de sanções que proibia qualquer país de comprar os excedentes de urânio e água pesada do Irã. Em essência, com este passo, os EUA proibiram todos os países da ONU de cumprir a resolução do Conselho de Segurança que aprovou o acordo nuclear.”


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade