fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

EUA registram mais 64,5 mil casos de covid-19, diz CDC

Os dados são do Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano (CDC, na sigla em inglês), que mostra também uma estabilização de novos casos diários no país

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos registraram mais 64.582 casos de covid-19, que agora somam 4.163.892 desde o começo da pandemia. O total de mortes causadas pelo novo coronavírus cresceu em 929 de sábado, 25, para este domingo, 26, e agora chega a 145.942. Os dados são do Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano (CDC, na sigla em inglês), que mostra também uma estabilização de novos casos diários no país, considerando a média-móvel. Essa estabilização, no entanto, acontece no mais alto nível de infecções já registrado.

Na última sexta-feira, de acordo com o CDC, a média semanal de novos casos diários estava em 66,9 mil.

Segundo a agência de notícias Reuters, o Estado americano da Flórida tornou-se hoje o segundo superar o total de casos de covid-19 registrado em Nova York, mais afetado pela doença no começo da pandemia. Agora, a Flórida chegou a 423,8 mil contaminações, um acréscimo de 9,3 mil ante o total de ontem, e só não tem mais casos em termos absolutos do que a Califórnia, que acumula 448,5 mil pessoas contaminadas. Nova York vem na sequência, com 415,8 mil.

Globalmente, os EUA continuam como o país com mais casos de covid-19, seguido do Brasil (2,4 milhões) e da Índia (1,3 milhão).

Governo americano vai investir mais US$ 472 milhões em vacina

A empresa americana Moderna, especializada em biotecnologia, anunciou neste domingo, 26, que o governo dos Estados Unidos vai investir mais US$ 472 milhões em testes para uma vacina contra a covid-19. Antes, o governo americano já havia liberado US$ 483 milhões para apoiar as pesquisas da empresa.

O novo aporte está ligado à terceira fase de testes que começam conduzidos pela Moderna amanhã. A testagem será feita em 30 mil pessoas. Se tudo correr bem e a eficácia da vacina for confirmada, a Moderna espera ser capaz de produzir 500 milhões de doses por ano.

Em comunicado à imprensa, a companhia afirmou que estuda ampliar a capacidade de produção para até um bilhão de doses anualmente já a partir de 2021. “Encorajados pelos dados da fase, acreditamos que nossa vacina com mRNA pode ajudar na pandemia da covid-19 e também a prevenir surtos futuros”, comentou Stéphane Bancel, CEO da Moderna.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade