fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Estados Unidos impõem novas sanções contra elite política do Irã

Uma forma de punição econômica pelos ataques iranianos com mísseis contra as forças dos EUA no Iraque

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, determinou nesta sexta-feira, 10, uma série de sanções contra o Irã, uma forma de punição econômica pelos ataques iranianos com mísseis contra as forças dos EUA no Iraque. O ataque às bases iraquianas foi uma resposta à execução do general Qassim Suleimani.

O anúncio das sanções foi feito pelo Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e pelo Secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, e têm como alvo altos funcionários do governo e setores-chave da economia iraniana, e devem cortar bilhões de dólares em fundos para o governo.

Mike Pompeo disse que as medidas vão atingir não apenas a economia local, mas também o líder supremo do Irã, o aitolá Ali Khamenei, e a cúpula do governo, entre eles oito líderes políticos do país. Pompeo não detalhou exatamente quais seriam essas medidas.

O presidente iraniano Hassan Rouhani disse no mês passado que a “guerra econômica” das sanções dos EUA privou Teerã de US$ 100 bilhões em receita de petróleo e outros US$ 100 bilhões em investimentos. Segundo algumas estimativas, a economia do Irã contraiu mais de 10% no ano passado.

Mas enquanto o estrangulamento econômico forçou o Irã a adotar um “orçamento de resistência” que provocou protestos generalizados e uma repressão do governo, a dor foi sentida principalmente pelos iranianos comuns, em vez de funcionários do governo.

O governo Trump acredita que as sanções contra o alto escalão do Irã vão pressionar o governo iraniano a renegociar o acordo nuclear, reduzir seu programa de desenvolvimento de mísseis e impedir o patrocínio de milícias nos países vizinhos.

“Queremos que o Irã se comporte como uma nação normal”, disse o secretário de Estado Mike Pompeo, que se juntou a Mnuchin na Casa Branca.

Mas diplomatas estrangeiros e analistas do Irã dizem que Teerã mostra poucos sinais de que está disposto a ceder à pressão dos EUA.

Os americanos tentam isolar ainda mais os setores de petróleo, financeiro e marítimo do comércio internacional e investimentos iranianos.

Estadão Conteúdo. 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade