fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Depois de atingir Bahamas, furacão Isaías segue para a Flórida neste sábado

Setores na costa leste da Flórida estão sob vigilância de furacões. Espera-se que toda a costa sudeste receba ventos de tempestades tropicais no fim de semana

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O furacão Isaías provocou fortes rajadas de vento nas Bahamas neste sábado, 1.º, enquanto continua seu caminho para a Flórida, onde se espera com medo de agravar a já complicada situação de saúde deste estado com números recordes de mortes por coronavírus.

A Flórida, o segundo estado mais afetado pela pandemia após a Califórnia, atingiu um novo recorde na sexta-feira, 31, com 257 mortes por coronavírus em 24 horas, totalizando 6.843 mortes e 470.386 infectadas. Soma-se a isso a previsão da chegada de Isaías, um furacão de categoria 1, que sopra com ventos máximos sustentados de 130 quilômetros por hora. Por volta das 6 horas da manhã (horário local), Isaías era uma tempestade extensa que se movia para noroeste a uma velocidade de 22 quilômetros por hora, causando grandes rajadas de vento nas Bahamas e também nas Ilhas Turks e Caicos, conforme relatou o Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami.

“Condições perigosas para furacões e tempestades são esperadas em partes das Bahamas até sábado, e alertas de furacões estão em vigor”, acrescentou a entidade.

O primeiro-ministro das Bahamas, um arquipélago caribenho, Hubert Minnis, anunciou na quinta-feira, 29, um relaxamento de medidas de contenção da pandemia do novo coronavírus para permitir que os moradores se preparem para o furacão. No entanto, ele alertou: “Não use esse período de prontidão para furacões para socializar e visitar amigos ou familiares”. “Estamos no meio de uma pandemia e, se não agirmos com responsabilidade, as consequências podem ser graves”, acrescentou ele em entrevista coletiva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Isaías é o primeiro furacão a atingir as Bahamas desde que Dorian, categoria 5, destruiu duas de suas ilhas no ano passado, estacionando impiedosamente por três dias no arquipélago. Ele já deixou graves inundações e deslizamentos de terra nos últimos dias, enquanto passava por Porto Rico e República Domenicana, além de árvores e postes caídos, casas inundadas e milhares de pessoas sem eletricidade.

Enquanto isso, o estado da Flórida, já devastado pela pandemia e com hospitais transbordando, está se preparando para o golpe de Isaías, provavelmente como um furacão de categoria 2, equivalente a ventos de mais de 154 quilômetros por hora.

Setores na costa leste da Flórida estão sob vigilância de furacões. Espera-se que toda a costa sudeste receba ventos de tempestades tropicais no fim de semana. O governador do estado, Ron DeSantis, informou em uma entrevista coletiva na sexta-feira que assinou uma declaração de emergência para os condados da costa leste do estado. Mas a tempestade virou levemente para o oeste, mergulhando no mar, de modo que nenhum impacto direto é esperado no momento na península da Flórida.

DeSantis sustentou que no momento não é necessário habilitar os abrigos, mas recomendou que a população “permaneça vigilante” e armazene água, comida e remédios por uma semana. Por sua vez, o prefeito de Miami-Dade, Carlos Giménez, disse que o município tem 20 abrigos que não foram ativados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Giménez disse que, se forem necessários abrigos – normalmente instalados em academias de escolas – as pessoas que testarem positivo para o coronavírus serão isoladas nas salas de aula, uma área que em situações normais não será ativada. “Sim, precisamos tomar precauções adicionais por causa da covid-19”, disse ele, acrescentando que máscaras e desinfetantes serão distribuídos.

Os centros de testes covid-19 na Flórida foram fechados quinta-feira até novo aviso, pois são estruturas de campo que não podem suportar ventos de tempestades tropicais. / AF


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade