fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Bancada democrata apresenta pedido de impeachment de Trump no Congresso

A partir da apresentação começa a correr um prazo de 24 horas e na terça-feira, 12, neste horário, congressistas podem abrir processo de impeachment

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A bancada democrata na Câmara dos Estados Unidos apresentará formalmente um pedido de impeachment do presidente Donald Trump às 11h (13h em Brasília) desta segunda-feira, 11. A partir da apresentação começa a correr um prazo de 24 horas e na terça-feira, 12, neste horário, os parlamentares abrir o processo de impeachment contra o presidente.

No pedido, os parlamentares acusam Trump de “incitação à insurreição” por seu papel no movimento que culminou com a invasão do Capitólio na semana passada. Também são mencionadas as denúncias infundadas de Trump sobre fraude eleitoral, a convocação de sua base aliada para protestos no dia 6 de janeiro em Washington e o discurso incentivando os apoiadores antes da invasão do Congresso.

“Em tudo isso, o presidente Trump colocou em risco a segurança dos Estados Unidos e de suas instituições governamentais”, diz a resolução. “Ele ameaçou a integridade do sistema democrático, interferiu na transição pacífica de poder e pôs em perigo um dos Poderes. Com isso, ele traiu sua confiança como presidente, para prejuízo manifesto do povo dos Estados Unidos.”

A resolução é o primeiro passo dos democratas para realizar uma votação de impeachment ainda nesta semana, antes do fim do mandato de Trump.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No domingo, 10, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, havia afirmado estar pronta para iniciar o processo de impeachment contra o presidente – que seria o segundo a ser aberto. De acordo com Pelosi, o pedido só não seria apreciado se Trump renunciasse ao cargo nos próximos dias.

Outra opção de afastamento do presidente é se o próprio gabinete do presidente pode afastá-lo acionando a 25ª emenda da Constituição dos EUA e declarando o Trump como inapto à permanência no cargo. Isso, no entanto, dependeria de uma atuação direta do vice-presidente, Mike Pence.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade