Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Atirador que matou 49 em Orlando era frequentador da boate gay

Publicado

em

Publicidade

Omar Mateen, o radical homofóbico que matou 49 pessoas em uma boate gay em Orlando, era frequentador assíduo da boate Pulse, onde ele cometeu o massacre. A informação foi dada pelos jornais Orlando Sentinel e Los Angeles Times, pelo site Gawker.com e pela agência de notícias Canadian Press. Pelo menos quatro frequentadores do nightclub reconheceram Mateen.

“É o mesmo cara”, afirma Chris Callen, que usa o nome artístico de Kristina McLaughlin. “Ele frequentou o bar por, pelo menos, três anos.” Já Ty Smith, que usa nome Aries, também viu Mateen na Pulse em várias ocasiões. “(Eu vi ele) muito bêbado … Ele não podia beber quando ele estava em casa, perto da esposa ou da família. Seu pai era muito rigoroso … Ele costumava falar sobre isso “, disse Smith à Canadian Press. “Às vezes ele ficava bebendo no canto. Em outras, ficava tão bêbado que falava alto e era agressivo”, contou.

Ao jornal Orlando Sentinel, Smith disse que viu Mateen dentro de pelo menos uma dúzia de vezes. “Não falava muito com ele, mas me lembro dele dizendo coisas sobre seu pai. Ele também me disse que tinha esposa e filho”, completou.

Callen e Smith, que são casados, disseram à imprensa canadense que pararam de falar com Mateen depois que ele os ameaçou com uma faca, após alguém fazer uma piada sobre religião. “Ele puxou uma faca e disse que não fizessem isso com ele de novo. Sabe como é, você sabe como isso vai acabar.”

Outro frequentador da Pulse, Kevin West, contou ao jornal Los Angeles Times que Mateen mandara mensagens para ele e que havia ligado e desligado durante um ano usando um aplicativo de bate-papo gay. Por sua vez, Cord Cedeno também viu o segurança na discoteca. “Era ele, definitivamente. Ele foi lá por anos, e as pessoas o conheciam”, disse Cedeno.


Você pode gostar
Publicidade