Siga o Jornal de Brasília

Gastronomia

#LuBarboIndica: drinques e petiscos no telhado

Restaurante Nikkei inaugura espaço mais despojado com vista para a Ponte JK e ideal para uma baladinha de leve com os amigos

Publicado

em

PUBLICIDADE

Se tem uma coisa que está em alta no mundo é a ocupação dos telhados dos prédios com ambientes bacanas e, claro, bebida e comida. Seja em Nova York, Londres, Tóquio ou Paris, ver a cidade de cima fascina turistas e moradores. Em Brasília, a moda parece estar chegando. Um exemplo é o rooftop do B Hotel que une um ambiente instagramável ao pôr-do-sol estonteante da cidade, especialmente na época de seca.

Na semana passada, foi a vez do Nikkei abrir o seu espaço, aproveitando o terraço da construção localizada quase às margens à beira do Lago. Fora a vista para a Ponte JK e o projeto da MAAI Arquitetura (com painéis da artista plástica Cris Conde e capacidade para 120 pessoas), a carta de drinques é, sem dúvida, o destaque do menu.

Há opções clássicas, como Aperol, Gin Tônica e Moscow Mule, mas o que chama a atenção mesmo são as criações dos mixologistas Victor Quaranta e Gutto Lopes. O primeiro foi o responsável pela seção de coquetéis orientais. Nela, a principal atração é o Yin Yang, composto por duas doses distintas, com sabores complementares. A mais clara leva shochu (destilado de arroz), gin, lichia, xarope de graviola e limão siciliano. O ideal é tomá-la primeiro para abrir as papilas para a segunda dose, mais escura, composta por Jack Daniel´s, suco de limão e redução de café com shoyu (R$ 33). Surpreende também o Origami que mistura pimentão amarelo ao sake, chá cítrico e limão siciliano (R$ 27).

Gin Tônica e Aperol. Foto: Henrique Kotnick/Jornal de Brasília

Já Gutto Lopes aposta em releituras de clássicos, como no Velha Guarda, que remete a um Old Fashioned e leva cachaça envelhecida, xarope de caramelo salgado, Orange bitter, angostura e água tônica (R$ 24) e o Gin com hibisco, chá de frutas vermelhas, morango e rodelas de limão.

Gutto Lopes aposta em releituras de clássicos, como no Velha Guarda

Para comer 

O menu de comida é baseado em petiscos do chef Divino Barbosa que, não necessariamente, remetem ao menu principal do Nikkei. Boas opções são o trio de ceviches (R$ 69), com uma combinação tradicional de peixe branco, outra de atum e mais uma que reúne camarão, polvo, salmão e kani ao leite de tigre com maracujá. 

Trio de ceviches. Foto: Henrique Kotnick/Jornal de Brasília

Trio de ceviches. Foto: Henrique Kotnick/Jornal de Brasília

A bruschetta (R$ 39) com cobertura de vinagrete de polvo também vai bem com os drinques e, para quem quer algo quentinho, a dica é a brandade de bacalhau bem cremosa, acompanhada por torradinhas amanteigada. Mais uma sugestão é o carpaccio de mignon com molho quente de alho, manteiga de ervas e crispy de couve (R$ 54). Ainda há bolinhos, burrata, tábua de frios e casquinha de siri.

Para pedir comidas e bebidas, os clientes devem se dirigir até o balcão. A intenção do formato e permitir a interação das pessoas com o ambiente de uma maneira diferente. No entanto, os garçons levam os pedidos até à mesa.

Uma dica é ir bem agasalhado nessa época fria. Quem esquecer desse detalhe tem o auxílio de mantinhas e alguns mesas contam com lareiras próprias para acalentar os visitantes. O espaço conta ainda com dois lounges para grupos maiores e com aquele aconchego mais diferenciado.


Serviço:
Rooftop do Nikkei Brasília
Endereço: Setor de Clubes Esportivos Sul Trecho 2 – Orla da Ponte JK
Funciona às quintas e sextas, das 19h à 1h; sábado, das 16h à 1h, e domingo, das 16h às 0h.
Reservas: (61) 2099-2461
Instagram: @nikkeibrasilia

Leia mais sobre gastronomia aqui.

Siga Jornal de Brasília e Luciana Barbo no Instagram.

 


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade