fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Luciana Barbo

Conheça o Sagrado Mar, que acaba de ser aberto no Lago Sul

Luciana Barbo

Publicado

em

PUBLICIDADE

Em março, anunciei em primeira mão o projeto do Sagrado Mar, restaurante dedicados aos pescados e pertencente ao trio formado pelo chef Marco Espinoza e os irmãos Ivone e Antônio Carvalho, donos do Taypá e do Gran Bier (antigo Bier Fass Lago). Pouco mais de seis meses depois, eis que venho apresentar a casa, que abriu as portas oficialmente nesta quarta-feira à noite e está funcionando para almoço e jantar, em soft openning.

A convite de Espinoza, fui até lá para conferir de perto (e com todas as precauções de segurança) o que eu já suspeitava: o restaurante tem potencial para ser um marco em Brasília, no quesito frutos do mar. Estes ingredientes nobres, que vinham sendo explorados de forma grotesca em algumas casas ou timidamente em outras, agora têm o lugar que merecem. Falo isso porque sou apaixonada pelas espécies das águas, então me animo mesmo com a novidade e torço para que seja um sucesso.

Antônio Carvalho, Marco Espinoza e Ivone Carvalho, os sócios do empreendimento (foto: divulgação)

Os insumos são garimpados em fornecedores nacionais, especialmente de Santa Catarina, São Paulo e Alagoas. Eventualmente, outras praças podem compor a lista, mediante frescor e qualidade, aliados a um preço competitivo.

O ambiente, assinado pela Tune Arquitetura, tem cerca de 70 lugares (reduzidos por conta da pandemia) e decoração meio industrial baseada em ferro, concreto, pedra e madeira. A identidade visual é da Avocado Design.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na cozinha, são destaques as churrasqueiras para assar peixes, camarões, ostras, polvos, lulas, mexilhões e apenas dois cortes de carne vermelha, para quem não aprecia os frutos do mar. De lá também saem os pães do courvert e da bruschetta de sardinha, depois da fermentação de 24 horas; as berinjelas os pimentões e as cebolas que compõem outras receitas. Ou seja, prepare-se para sabores defumados, aliados a elementos cítricos, cremosos e suculentos.

Couvert com pão quentinho, assado na hora (Fotos dos pratos e drinques: Luciana Barbo)

Então, sem mais suspense, vamos ao menu

Abrindo o cardápio, o courvet conta com o pão da casa, assado na hora, acompanhado pela manteiga com cebolas ao vinho; berinjelas defumadas na churrasqueira e azeite. Me agrada muito essa coisa de assar o pão pouco antes de ir para a mesa. É mais fresco para o cliente e evita o desperdício.

A lista das entradas reúne oito opções, das quais provei quatro. As ostras na brasa vêm com uma fatia delicada de bacon que passa por cozimento em caldo de peixe para atenuar o sabor e combinar com alho, salsinha e a manteiga. As porções podem vir com duas (R$ 31) ou quatro unidades (R$ 58).

Já as sardinhas, também levadas à churrasqueira são servidas sobre o pão com farta e cremosa camada de tomates, mais queijo provolone e pimentão. A dupla sai a R$ 28 e a quádrupla, a R$56.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cremosos também são os croquetes de siri, com batata, queijo gruyère e maionese de alho levemente picante (R$ 41). E o que dizer das vieiras com molho cítrico, que chegam à mesa com um aroma de pão ralado e amêndoas (R$ 84)?

Croquetes de lula com arroz na tinta do molusco, maionese de limão e tentáculos fritos (R$ 39); ostras crocantes no pão negro com maionese de curry e batatas fritas (R$ R$ 34 e R$ 62); mexilhão na panela ao vinho, manjericão, azeite e tomates (R$ 59) e carpaccio de polvo com chips de alcachofra, alcaparrones e azeite de limão e alho (R$ 89) completam as sugestões de entrada.

Principais

Seguindo o menu para os principais, provei o supermacio tentáculo de polvo ao chimichurri com batatas ao forno (R$ 121); a lagosta com ravióli de batata baroa (R$162) e o robalo, meu favorito, com cuscuz marroquino e molho de abóbora defumada (R$ 81), que é comfort food da veia.

Ainda há opções de massas, com vôngole e camarão, atum, salada e peixe do dia nas versões individual e com o pescado inteiro, para duas pessoas. Ambos são acompanhados por duas guarnições, à escolha do cliente, a R$ 78 e R$ 152, respectivamente. Os acompanhamentos são creme de espinafre, cuscuz marroquino, batata frita à provençal, purê de batata, salada da estação e linguini na manteiga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O menu ainda pode ter outras sugestões, de acordo com o que os forncedores tiverem de mais fresco.

Sem glúten

Conforme prometido por Marco Espinoza, as três sobremesas não contém glúten ou açúcar refinado. Mas nem por isso são desinteressantes. Muito antes pelo contrário. Chocólatra que sou, elegi como favorita a Cacau (torta de chocolate com creme de avelã, fudge de cacau e mascavo, mais gelato de tangerina (R$ 29). É aquela mistura de amanteigado com crítico e frescor que eu amo.

Já a Rosa Selvagem (R$ 32) é aquela sobremesa adulta, sabe? Vem com uma panna cotta de iogurte no centro do prato, regada com sopa de vinho rosé de uvas Malbec aromatizada com rosas, biscoitinho e frutas vermelhas. É leve e cheia de camadas de sabor.

Para finalizar, tem ainda a Cítrico, uma torta de farinha de arroz com coco crocante, musseline de maracujá e especiarias, gel de manjericão e sorvete de abacaxi. Essa é daqueles refrescantes, que abrem as papilas e dão vontade de começar a refeição de novo (o negócio é só ter espaço no estômago, hehehe).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para beber

Não pense que acabou por aí, porque ainda tenho de falar sobre a carta de drinques, formada por alguns clássicos, porque, afinal, precisamos respeitar a tradição, e ainda invenções refrescantes.

Provei o Sagrado Mar, com gin, licor 43, Aperol, xarope de toranja, xarope de cupuaçu com maracujá e água tônica (R$ 29,50) e o Margarita Amazônica, que leva cachaça Ypióca, Cointreau, xarope de cupuaçu, angostura, hortelã e uma pitada de sal (R$28).

Já o Poseidon vai com Jack Daniels, xarope de framboesa, suco de uva, limão, manjericão e uvas in natura (R$ 32), enquanto o Anfitrite leva a mesma base alcoólica, mais Campari, caju e xarope de tangerina (R$ 32).

Rótulos de vinhos de vários países, especialmente os espumantes, os brancos e os rosés, também são boas opções para acompanhar os pratos.

Vale dizer que a casa está seguindo todos os protocolos de segurança referentes à covid-19, estipulados pelo decreto do GDF. Fora isso, o ambiente tem janelões e é bem arejado.  Para quem não se sente seguro para sair de casa, a boa notícia é que o delivery começará a funcionar em poucos dias.

Serviço:

Sagrado Mar
SHIS Qi 17, comércio local, bloco G, loja 201, Ed. Fashion Park.
Telefone: 3202-3256 e 3201-5156
Funciona de segunda a sábado, das 12h às 16h e das 19h à meia-noite. Domingo, das 12h às 17h.
www.sagradomar.com




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade