Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Movimento aplaude Paulo Gustavo; ator é cremado nesta quinta (6)

Cerimônia será restrita a amigos e familiares a fim de evitar aglomerações

Foto: Reprodução/Instagram

Por volta de 20h de quarta-feira (5), uma salva de palmas foi ouvida em vários bairros de Niterói, cidade-natal do ator e humorista Paulo Gustavo. A campanha foi organizada pela internet. No mesmo horário, o movimento “342 Artes” criou uma campanha nacional para homenagear, também com aplausos, Paulo e todas as vítimas da covid-19.

Artistas como Caetano Veloso, Paula Lavigne, Mônica Iozzi, Ingrid Guimarães, Giovanni Bianco, Danielle Winits, Christiane Torloni e Regina Casé divulgaram a iniciativa nas redes sociais.

Paulo será cremado nesta quinta. Em comunicado, a assessoria do autor disse que a cerimônia será “restrita a familiares e amigos próximos. O local não será divulgado, a fim de evitar aglomerações neste período de pandemia”. Por fim, o esatafe agradece “a todos pelas mensagens de carinho e apoio.”

Paulo Gustavo morreu na noite desta terça (4) após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação de morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível.

“Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante”, afirmava o último boletim médico.

Muitos famosos lamentaram a morte do ator, desde amigos até a cantora americana Beyoncé. “Aplaudam de pé esse grande homem! Gritem bravo! Façam uma homenagem a Paulo Gustavo em suas casas. Aplaudam de pé esse grande artista”, afirmou Tatá Werneck em suas redes sociais.

O escritor Paulo Coelho, 73, prestou uma homenagem ao ator e utilizou frases negacionistas para protestar sobre a pandemia. “Assassinos de Paulo Gustavo: quem dizia ‘é só uma gripezinha’, ‘não passa de 200 mortes’, ‘cloroquina resolve’, ‘gente morre todo dia’, ‘lockdown destrói o país’, ‘máscara nos faz respirar ar viciado’, ‘eu obedeço o comandante’, e por aí vai. Canalhas da pior espécie”, disse o autor que já vendeu 320 milhões de exemplares de seus 30 livros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro também deu seus votos “pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo”. “Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a Covid.” Com Folhapress






Você pode gostar