Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Literatura

Escritora brasiliense abre as portas da Bienal do Livro para escritoras independentes

Maior evento literário da América Latina vai acontecer entre os dias 02 e 10 de julho

Foto|Divulgação

Depois de quatro anos de intervalo provocado pela pandemia de Covid-19, a Bienal Internacional do Livro volta a acontecer de forma presencial com várias novidades, entre elas o estande do “Escreva Garota!”, que ficará no local durante toda a feira. A mostra acontecerá em São Paulo, entre os dias 02 e 10 de julho.

O clube criado pela escritora e preparadora literária brasiliense, apoia, engaja e capacita mulheres que escrevem de forma independente. Inclusive, algumas das participantes vão lançar livros durante o evento. A escritora explica que as participantes, distribuídas em mais de cinco países, se encontram virtualmente para debater teoria literária, técnicas de escrita criativa, em uma espécie de clube exclusivo com vários benefícios. E que estar presencialmente em um evento tão grande é o sonho de qualquer escritora.

“Estar em contato fisicamente com o público, distribuir autógrafos e abraços… Se a escrita é processo solitário, é nas feiras que encontramos o outro, que temos a noção de que nossas palavras ganharam o mundo. É também a prova de que a escrita independente ganha espaço e voz no mercado”, comemorou Lella.

Na feira, além de promover o lançamento das obras das suas “garotas”, Lella vai dedicar o domingo, a partir das 17h, para sessão de autógrafos de suas obras já lançadas, entre elas.

Foto|Divulgação

A escritora

Lella é uma brasiliense apaixonada pela escrita. É escritora, preparadora literária, produtora de conteúdo digital, educadora, cientista social, chef de gastronomia natural e terapeuta de escrita expressiva. Focada na saúde mental das mulheres, se dedica ao estudo da psicanálise e da psicologia positiva. Autora de três livros. Os romances: “Qual é o nome da vez?” e “Você tem fama de quê?”. Além do trabalho mais recente, que retrata experiências pessoais: “Prazer, Paniquenta: Desventuras Tragicômicas de Uma Ansiosa”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar