Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Cineasta acusa TikTok de censura em Cannes e deixa júri de competição paralela

Rithy Panh, diretor de “A Imagem que Falta”, abandonou a presidência do júri do TikTok Short Film, competição criada no Festival

Por FolhaPress 20/05/2022 1h59
Rithy Panh, diretor de "A Imagem que Falta", abandonou a presidência do júri do TikTok Short Film, competição criada no Festival Foto/Reprodução

O cineasta cambojano Rithy Panh, diretor de “A Imagem que Falta”, abandonou a presidência do júri do TikTok Short Film, uma competição paralela criada na atual edição do Festival de Cannes para premiar vídeos curtos feitos durante o evento. Ele acusa executivos da rede social de terem interferido nas escolhas dos jurados.

“Eles precisam saber que um júri artístico é um júri, e não um algoritmo”, afirmou o diretor à revista The Hollywood Reporter. Segundo ele, representantes do TikTok tentaram reiteradamente interferir nas deliberações do grupo de jurados escolhidos para avaliar os filmes, substituindo alguns dos títulos e até mesmo desqualificando os vídeos eleitos vencedores.

“Um júri de cinema precisa ser respeitado”, disse Panh, que acrescentou que havia aceitado participar do colegiado porque a ele foi dito que os méritos a serem avaliados eram exclusivamente cinematográficos. Além dele, participam do corpo de jurados a roteirista Angèle Diabang e a diretora Basma Khalifa, entre outros.

A 75ª edição do Festival de Cannes marcou o início da parceria com a rede social chinesa de vídeos curtos, que caminha para se tornar a mais importante plataforma do gênero no mundo. Numa tentativa de ganhar a atenção de um público mais jovem, a mostra francesa de cinema convidou criadores de conteúdo para virem à cidade e até instituiu a competição do TikTok Short Film.








Você pode gostar