Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Aquino e a Orquestra Invisível colorem “Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã” com várias possibilidades sonoras em disco de estreia

Todo e qualquer fazer artístico pode ser resumido pela imagem de uma tela em branco, prestes a ser pintada livremente por alguém. Na obra, o artista distribui formas e cores de forma a materializar o conceito desejado

Todo e qualquer fazer artístico pode ser resumido pela imagem de uma tela em branco, prestes a ser pintada livremente por alguém. Na obra, o artista distribui formas e cores de forma a materializar o conceito desejado. No entanto, a banda carioca Aquino e a Orquestra Invisível foi além: usou como tela Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã, localização que dá nome ao seu colorido disco de estreia. São camadas de verde, azul, vermelho, marrom, rosa, violeta e mais, sob diferentes estéticas e temas que enriquecem o material. 

Os integrantes João Soto (vocais, baixo e teclado), João Vazquez (vocais e guitarra) e Leandro Bessa (vocais e bateria), todos moradores da Zona Norte da capital fluminense, não estão naturalmente inseridos no contexto de praias, turismo e curtição pela qual conhecemos a Zona Sul da cidade. Eles deixam isso claro no disco não apenas através do título, já que citam também outras paisagens urbanas mais reconhecidas pelo concreto do que pela areia, como o bairro do Grajaú ou até mesmo a movimentada Avenida Brasil. Mas, como bons artistas, eles coloriram com boa música os edifícios monocromáticos que ditaram sua visão durante anos. 

O álbum foi produzido, mixado e masterizado por Sidney Sohn Jr (indicado duas vezes ao Grammy Latino que já trabalhou com nomes como Pepeu Gomes, Zeca Pagodinho, Milton Nascimento, IZA e Rapadura) e apresenta-se como uma miscelânea de gêneros musicais, indo do indie ao axé, à MPB e ao experimental em questão de minutos. De referências, a banda usou pitadas de Los Hermanos, Rita Lee, Lô Borges, Letrux e mais, além de nomes internacionais como Fela Kuti e Mac DeMarco. Não à toa, os oito singles divulgados previamente tiveram suas capas em cores diferentes, enquanto as cinco inéditas também contribuem para essa extensa paleta.  É como se a banda estivesse montando um arco-íris, adicionando luzes diferentes que, tal como um prisma, juntam-se na cor branca, que é destaque na capa do álbum.






Você pode gostar