Siga o Jornal de Brasília

Economia

Preço do diesel de 2017 é utilizado para justificar reajuste na tabela do frete

Publicado

em

Da Redação
[email protected]

O reajuste de 4,13% na tabela de frete do transporte rodoviário, como acordado em reunião com caminhoneiros na última segunda-feira (22), foi calculado com base no valor equivalente ao preço do diesel praticado pela última vez em 2017.

Anunciado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o reajuste foi feito com a razão do aumento do preço do óleo diesel, de 10,69%, com o valor da última tabela, de janeiro. A Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) contesta os números.

O preço subiu nas refinarias em 23% desde janeiro, mas o repasse ao consumidor se retrata por distribuidoras e postos diante da crise econômica instaurada no país. A ANP informa que a alta nas bombas entre o fim de dezembro e a última semana é de 2,8%.

A tabela do frete foi atualizada em 18 de janeiro, quando o preço do diesel variava em torno de R$ 3,44 e do S-10 em torno de R$ 3,54, de acordo com pesquisa da ANP.

A planilha usada para calcular o reajuste ainda não foi divulgada pela ANTT, mas a assessoria de imprensa informa que os 10,69% correspondem à variação entre os R$ 3,28 por litro vigentes na última tabela de frete e os R$ 3,638 por litro verificados na última semana de março -valor do diesel S-10, segundo os dados da ANP.

O valor do reajuste foi aprovado, unanimemente, durante reunião da diretoria da ANTT nesta terça-feira (23). Durante a reunião, que está gravada e disponível no site da agência, os diretores não debateram os cálculos que ajustaram o índice de 4,13%.

O aumento foi aprovado durante período de mobilização da classe dos caminhoneiros. A mobilização levou o governo de Jair Bolsonaro a anunciar série de medidas, investimentos em estradas e ofertas de financiamento para compra de peças para os caminhões.

O governo entrou em acordo com os caminhoneiros, na última segunda-feira (22), em que concordaram em reajustar a tabela do frete para suspender paralisação que havia sido marcada para 29 de abril.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

    Charge do dia
Publicidade