Siga o Jornal de Brasília

Economia

Pensando em investir? Saiba como multiplicar mil reais

João Paulo Mariano
[email protected]

Há 10 anos, o Brasil vivia outro momento político e econômico. Apesar da agitação devido à crise dos mercados mundiais, aqui, se falava em crescimento. E se, nesse período, você tivesse mil reais em mãos para gastar como quiser, o que faria? Tem gente que iria pagar dívida, outros gastar em qualquer coisa e ainda aqueles que iriam investir. Quem decidiu pela última possibilidade, em geral, viu o dinheiro crescer.

A pedido do Jornal de Brasília, a Bullmark Financial Group, em parceria com a Quantum, fez um levantamento de como alguns investimentos se comportaram na última década. Uma maneira de mostrar como o dinheiro de muita gente aumentou – ou diminuiu – nos últimos anos. O montante inicial para todos foi de R$ 1 mil, sendo que eles não seriam resgatados antes de completar 10 anos para que o investimento fique no longo prazo e renda mais.

A análise levou em consideração tanto a renda fixa como a variável. As ações na bolsa de valores estão entre os investimentos que mais tiveram acréscimo, mas também ocupam os piores. Se uma pessoa tivesse colocado mil reais em papéis das Lojas Renner, em junho de 2009 e só tivesse feito o resgate em agosto deste ano, atualmente, teria R$ 12.182,77.

Já quem tivesse colocado o mesmo montante inicial de mil reais nas ações da Petrobras, teria tido uma perda financeira e estaria com R$ 946,65 em mãos. Entre todos os analisados, o investimento na estatal brasileira foi o único que gerou déficit.

As outras ações analisadas foram as da Vale, Lojas Americanas, Itau Unibanco e da Ambev. Essas foram escolhidas porque nos últimos meses apresentaram desempenhos de alto a baixo. Na renda variável, foram verificados os investimentos em uma debênture, em um fundo Multimercado e também em relação ao ouro e ao dólar. Na renda fixa, entraram na carteira de investimentos a poupança, as modalidades de Tesouro Direto vinculados à Selic – taxa básica de Juros – e ao índice de inflação IPCA, o CDB e as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA).

Instabilidade

O analista em investimentos da Bullmark, Hugo Monteiro, lembra que a última década foi marcada por muita incerteza econômica, pois teria começado em crescimento, mas foi evoluindo para uma instabilidade política e financeira com o passar do tempo. A recuperação, para ele, apesar de ter começado, ainda é lenta mesmo dez anos depois.

Na opinião dele, para se obter um retorno melhor, deve-se observar o comportamento dos investimentos a longo prazo. “Todo investidor quer liquidez, segurança e bom retorno. Porém, não dá para ter os três ao mesmo tempo. Investimento é igual a um cobertor curto. Não dá para cobrir tudo sempre”, analisa.

Se você tivesse investido mil reais há 10 anos, quanto você teria atualmente?
Arte: Baggi/Jornal de Brasília

Ações

Apesar do lucro tão bom apresentado pela maior parte das ações, o analista Hugo salienta que para se aventurar nesse tipo de investimento é importante que a pessoa conheça bem o mercado. “O risco aqui não é o que você vai perder, mas a incerteza de como vai ser o futuro”, afirma.

Um exemplo são os papéis da Petrobras que deram perda financeira devido as constantes crises em que a empresa esteve envolvida. Lembrando que ter uma ação de uma empresa quer dizer que a pessoa é dona de parte da mesma. Se uma ganha a outra ganha. O mesmo acontece quando o desempenho dos papéis não é bom.

Hugo Monteiro indica que com R$ 500,00 é possível começar a investir em ações, mas contar com uma assistência profissional é essencial. Além disso, é preciso atenção ao que ocorre com aquela empresa em que se deseja investir. É necessário que a companhia seja bem gerida e esteja bem situada frente ao mercado. A dica dele é que se pegue os papéis de uma empresa que seja uma das melhores em seu meio.

E o que fazer para os próximos 10 anos?

Se, por qualquer motivo que seja, a pessoa nunca investiu nesses últimos dez anos, mesmo que tenha sido uma única vez, como no exemplo, não é o fim do mundo. Sempre pode ser hora para começar, não importa a idade. Mas, o que fazer para ter mais dinheiro com investimentos daqui a 10 anos?

A primeira dica que o analista da Bullmark, Hugo Monteiro, fornece é que a pessoa diversifique o máximo possível. “Se diversificar sempre, haverá mais segurança. O mais interessante é não deixar tudo em um único lugar”, aconselha.

O especialista também não indica que a pessoa utilize um investimento que não tenha segurança só porque terceiros indicaram. É necessário que se entenda, mesmo que minimamente, em que mar está navegando. Além disso, nunca esquecer que o valor colocado em investimentos deve ser separado mensalmente e de uma forma que não leve a pessoa a passar o tempo inteiro preocupada com as outras contas.

Outra preocupação que deve ser evitada é a de se arriscar em situações que trarão insegurança. “Não adianta investir em uma ação que vai trazer 1000% de retorno, mas que a pessoa não vai conseguir a noite de tanta preocupação”, alerta. Assim, é melhor investir um montante menor em situações mais arriscadas enquanto não se tem segurança. Quando houver mais entendimento de como esses sistemas funcionam, seria possível avançar.

Como investir meus mil reais?

Antes de colocar dinheiro em qualquer investimento, é necessário pesquisar bastante e aprender a economizar. Se a pessoa não for capaz de gerir suas finanças, não vai conseguir “fazer sobrar” dinheiro no fim do mês.

Depois, é preciso que a pessoa saiba como o sistema financeiro funciona, mesmo que minimamente. Isso pode ser feito em sites e blogs especializados.

Se precisar de ajuda, busque uma empresa especializada no assunto para que você tenha assistência.

Além disso, na hora de investir, ter metas é essencial. Você quer que aquele dinheiro seja utilizado em 10 anos ou em um prazo menor? Penar nisso pode fazer com que você modifique, inclusive, o tipo de investimento.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA