Siga o Jornal de Brasília

Economia

Dólar têm viés de baixa à espera de votação da Previdência na CCJ

Publicado

em

O compasso de espera pela possível votação do relatório da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, no início da tarde desta terça-feira, 23, deixa o dólar oscilando muito perto da estabilidade nos primeiros negócios.

Nesta manhã, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, negou, em entrevista à Rádio CBN, que haja sigilo dos estudos que embasam a reforma da Previdência e disse que é do interesse do governo a “transparência absoluta” dos documentos na comissão de mérito.

Traz alívio aos negócios o recuo dos caminhoneiros, que haviam marcado uma paralisação da categoria na próxima segunda-feira, dia 29, após o aumento de R$ 0,10 no preço do diesel no último dia 12. A categoria voltou atrás após reunião de quase quatro horas com o governo, que prometeu fiscalizar o cumprimento da tabela de preços mínimos para o frete rodoviário e reajustar a tabela segundo as mudanças do preço do diesel.

Às 9h25 desta terça, o dólar à vista caía 0,07%, aos R$ 3,9308. O dólar futuro para maio recuava 0,14%, aos R$ 3,9325.

No exterior, o índice do dólar opera em leve alta e a moeda americana também sobe majoritariamente frente a divisas de países emergentes exportadores de commodities. Os investidores internacionais buscam o dólar em meio a comentários de que os líderes chineses planejam agora focar reformas estruturais, em vez de lançar mais medidas de estímulos diante do desempenho melhor do que o esperado de sua economia no primeiro trimestre. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês do primeiro trimestre assim como os números de produção industrial e vendas no varejo do último mês vieram acima das expectativas.

Estadão Conteúdo


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade 
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade