fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Caixa nega contestação de saques fraudulentos do FGTS a contribuintes vítimas de golpes

Nessa quinta-feira (22), a Polícia Federal realizou uma operação que prendeu sete pessoas, incluindo um funcionário da Caixa, e indiciou outras 23

Avatar

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

Desde que o FGTS emergencial começou a ser depositado na conta dos contribuintes, várias pessoas estão sendo vítimas de golpes. Através de um falso cadastro, com telefone e e-mail diferentes, as quadrilhas movimentam a quantia antes da data do saque em espécie. Além disso, o trabalhador não está sendo ressarcido, mesmo após realizar uma contestação na Caixa Econômica Federal.

São inúmeros os casos de pessoas que foram vítimas do mesmo golpe. Em entrevista ao Portal Extra, o pesquisador Felipe Hanower, de 35 anos, relatou como o dinheiro sumiu da sua conta digital. Felipe mora em Portugal há um ano e meio e tem o pai como representante legal no Brasil. Ao tentar sacar o valor do FGTS emergencial, ele descobriu que outro e-mail estava cadastrado em sua conta e que o dinheiro já havia sido movimentado. Em seguida, o pai dele abriu uma contestação em uma agência, mas ela foi negada. No documento, a instituição alegou que “não há indicativo de ressarcimento dos valores” e que, para fazer um novo pedido de análise, teria que apresentar “novos argumentos ou fatos relevantes”.

Uma funcionária da Caixa disse, em entrevista ao Portal Extra, que muitos pedidos de contestação estão sendo negados de maneira infundada e, por isso, recomenda que os clientes entrem na justiça pedindo reparação.

Nessa quinta-feira (22), a Polícia Federal realizou uma operação que prendeu sete pessoas e indiciou outras 23. Um funcionário da Caixa está entre os que foram detidos. De acordo com as investigações, ele foi responsáveis por um prejuízo superior a R$ 2 milhões, ao utilizar uma rede de falsificadores e sacadores para levantamento indevido de valores do FGTS e de Cota PIS (Programa de Integração Social), além de retiradas de valores de contas da empresa pública federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Caixa afirmou, em nota, que “atua conjuntamente com a Polícia Federal e demais órgãos de segurança pública na identificação de casos suspeitos e na prevenção das fraudes no pagamento do Saque Emergencial do FGTS e demais benefícios sociais”.

Para as pessoas que desejam solicitar uma análise de saques indevidos, o banco informou que é preciso ir a qualquer agência da Caixa, portando CPF e documento de identificação, original e cópia. No caso de negativa do pedido, é possível solicitar a reanálise na mesma agência.

A especialista em direito penal, Dra. Cristiane Lemos, do Guimarães, Hesketh & Lemos Advogados, explica que as pessoas prejudicas podem acionar a Justiça contra a Caixa. A ação se justifica devido à responsabilidade civil objetiva da Caixa pelos danos causados ao consumidor, decorrentes de serviços defeituosos.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade