fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Caixa lança ‘Caixa Sim’ e corta juro do cheque especial

No cheque especial para pessoas físicas, a redução imediata nos juros é de 26%, com a taxa máxima indo de 13,45% ao mês para 9,99% ao mês

Aline Rocha

Publicado

em

PUBLICIDADE

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira, 31, cortes nas taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de quinta-feira (1º), tanto para empresas como para as famílias. Além disso, a partir do dia 19 de agosto, o banco disponibilizará um novo pacote de produtos, chamado “Caixa Sim”, com taxas ainda mais atrativas aos clientes.

“Somos o banco mais solvente do mercado. Nenhum outro banco tem 2% de Índice de Basileia”, afirmou o presidente do banco, Pedro Guimarães. “Isso nos permite tomar essa medida”. As reduções de taxas são permanentes, completou.

No cheque especial para pessoas físicas, a redução imediata nos juros é de 26%, com a taxa máxima indo de 13,45% ao mês para 9,99% ao mês. Para pessoas jurídicas, a redução imediata no cheque especial é de 33%, caindo de 14,95% ao mês também para 9,99% ao mês.

No pacote “Caixa Sim”, essas taxas serão ainda menores. No caso do cheque especial para famílias, a redução na taxa alcançará 33%, para 8,99% ao mês. Para empresas a redução nessa linha será de 40%, também para 8,99% ao mês.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já no crédito pessoal, haverá uma redução de até 21% nas taxas cobradas. Atualmente o piso cobrado é 4,99% ao mês, e passará a ser de 2,29% ao mês. Nesse caso, as taxas variam conforme o perfil do cliente.

A Caixa também anunciou a isenção da anuidade no cartão de crédito para pessoas físicas. “A isenção de anuidade é importante em um momento de grande competição no mercado bancário, inclusive com a liberação de recursos do FGTS”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para empresas, haverá redução de 11% nas taxas de capital de giro nas operações com aval de sócios (a partir de 1,69% ao mês) e de 13% nas de capital de giro com aval de sócios mais imóvel ou aplicação financeira (a partir de 0,99% ao mês ou 0,95% ao mês, respectivamente).

Na antecipação de recebíveis com cartão de crédito, a taxa será de 1,85%. Também não haverá anuidade no primeiro ano do cartão de crédito para pessoas jurídicas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Conforme adiantou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o corte horizontal nos juros do banco para pessoas físicas e jurídicas tem como foco, principalmente, linhas como crédito pessoal e capital de giro. O movimento teria partido de uma orientação interna do banco e visa a se antecipar a uma retomada mais aquecida na demanda por crédito no segundo semestre.

Redução de juros é devolução à sociedade de resultado recorrente recorde

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse nesta quarta-feira, 31, que a redução de ate 40% nos juros cobrados pelo banco em modalidades de crédito para pessoas físicas e jurídicas é uma “devolução à sociedade” do resultado recorrente recorde do banco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

“Também vamos anunciar em breve valores relevantes nas áreas de seguridade e cartão de crédito. Vamos receber dinheiro para fazer joint ventures em seguros e cartões”, acrescentou, sem dar maiores detalhes sobre essas negociações em curso.

Guimarães disse ainda que o banco está 100% focado no pagamento dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS a partir de setembro. Ele lembrou que 106 milhões de pessoas terão direitos a esse saque, mas estimou que o número de atendimentos deve ser bem maior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Muitas pessoas não têm o direito a saque e outras irão ao banco mais de uma vez. Vamos receber entre 150 milhões e 180 milhões de pessoas nas agências da Caixa nos próximos cinco meses. A população pode ficar tranquila, porque o banco está preparado para isso”, garantiu.

Além da redução nas taxas de juros anunciada nesta quarta, o executivo prometeu a criação de um novo ambiente de acesso ao banco voltado para as pessoas de baixa renda, que também ajudará no pagamento dos saques do FGTS.

“O sistema já está em teste, com 3 mil funcionários dedicados a essa plataforma. No dia que anunciarmos o instrumento, ele terá que estar operacional para 102 milhões de clientes. Estamos melhorando o nosso aplicativo atual, mas teremos também um modelo extremamente simples, voltado para as pessoas que têm telefones com menor capacidade”, afirmou.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade