Siga o Jornal de Brasília

Economia

Caixa devolve R$ 3 bilhões ao Tesouro

Presidente da instituição contou que devolução é decisão do ministro Paulo Guedes

Publicado

em

Caixa
Publicidade

Da redação
redacao@grupojbr.com

A Caixa Econômica Federal vai devolver R$ 3 bilhões ao Tesouro Nacional. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (12), pelo presidente da instituição, Pedro Guimarães, anunciou nesta quarta-feira (12), junto com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Guimarães informou que a devolução é uma determinação de Paulo Guedes. “Essa é uma determinação do ministro Guedes. Não é discussão de ‘management’ [gerenciamento]. É uma decisão de governo que nós vamos devolver o dinheiro”, declarou o presidente.

Segundo ele, a estratégia da instituição financeira é de devolver outros R$ 17 bilhões até o fim deste ano. Em janeiro, Guimarães informou que a Caixa tem uma dívida com o governo de cerca de R$ 40 bilhões por meio do chamado IHCD (Instrumento Híbrido de Capital e Dívida) sem prazo de pagamento, e acrescentou que isso não seria justo. Nessa quarta-feira, ele disse que o valor é, na verdade, de R$ 42 bilhões, o que o levou a buscar a venda de ações de suas subsidiárias – empresas controladas pela Caixa Econômica Federal – para pagar esse débito.

As subsidiárias que serão vendidas, segundo ele informou em janeiro, são de seguridade, cartões, loterias e de administração de ativos de terceiros (asset management). Em 2015, o governo chegou a anunciar a abertura de capital da Caixa Seguradora, mas o processo acabou não indo adiante.

A Caixa é uma empresa 100% pública, que não tem capital aberto, isto é, ações negociadas em bolsa de valores – ao contrário do Banco do Brasil e da Petrobras, por exemplo, empresas de economia mista, com capital público e privado.

Promessa de governo

Guedes lembrou que a medida faz parte de uma promessa de campanha. Durante o período eleitoral, a equipe informou que iria “despedalar” os bancos públicos. Isto é, devolver recursos emprestados. “Houve muitos empréstimos da união aos bancos públicos que cometeram excessos com recursos públicos, como BNDES e Caixa. E essas ‘pedaladas’ acabaram levando ao ‘impeachment’ da presidente [Dilma]. E nossa responsabilidade é devolver esses recursos à União, e dentro, inclusive, das exigências do TCU”, declarou o ministro.

Vale lembrar que esses recursos não podem ser utilizados no orçamento da União em gastos dos ministérios, e sim apenas para o abatimento da dívida pública.


Você pode gostar
Publicidade