fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Build America: alterações no plano de imigração de Trump

Saiba como está a relação comercial entre Brasil e EUA e como conseguir o greencard

Aline Rocha

Publicado

em

PUBLICIDADE

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está prestes a colocar em prática o plano de imigração que promete alterar a forma de entrada nos Estados Unidos. De acordo com ele a mão de obra qualificada será privilegiada e atrairá imigrantes que possam “construir a América”, nome da nova prática, “Build America”.

A configuração da relação comercial e política entre o Brasil e os Estados Unidos está estimulando mercado mais inclusivo e qualificado para empresários brasileiros. O empreendedor brasileiro precisa analisar as especificidades das diferentes regiões dos Estados Unidos, o que pode ser crucial para o planejamento e posicionamento no mercado.

Brasileiros experts em negócios mundiais criaram o Global Business Institute, situado na Flórida, para auxiliar os empreendedores que pretendem abrir alguma empresa nos EUA. Para eles, um auxílio capacitado pode melhorar as chances de um projeto internacional.

“A relação comercial dos EUA e do Brasil não é mais a mesma. O empresário brasileiro que pretende investir precisa contar com a expertise de quem já passou pelo processo e já compreende a lógica por trás do estabelecimento de um negócio de sucesso em território americano. Até chegar na plena geração de empregos e na consolidação do negócio, existem etapas fundamentais que precisam ser seguidas para evitar prejuízos e naufrágio da iniciativa”, explica o CEO do Grupo, Manoel Suhet.

Hoje em dia apenas 12% de migrantes para o país conseguem o greencard baseado em habilidades. Isso se dá porque 66% dos vistos são emitidos por vínculos com membros da família e 22% humanitários, ou solicitantes de refúgio. A nova proposta imigratória de Trump mudaria esse cálculo para 57% de habilidade, 33% de família, 10% de ajuda humanitária.

Atualmente, os migrantes qualificados interessados em viver e trabalhar nos EUA encontram esta possibilidade aplicando vistos de habilidades extraordinárias e profissionais (EB1-A, EB-2, entre outros), que premiam com o documento de residência permanente (o Green Card) profissionais com carreiras excelentes e com alto nível técnico. Empresário e escritor, que conquistou o greencard americano, Rodrigo Lins explica que Trump não fechou portas para imigrantes.

“Muito embora este governo tenha dificultado o sistema imigratório Americano em alguns pontos, as oportunidades para aplicantes da modalidade de visto – que ficou conhecida como: “Visto Einstein” – não foram impedidas. Ao contrário, com a menor taxa de desemprego nos EUA dos últimos 50 anos, Trump sabe que precisará de mão-de-obra qualificada para garantir o pleno funcionamento da maior economia do mundo”, explica.

Ele conta que o presidente americano deixa claro o espaço mais limitado para imigrantes que ultrapassem e alterem suas intenções de visto. “É este o perfil de imigrante que Donald Trump quer abrir as portas dos Estados Unidos”, finaliza Rodrigo Lins.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade