Siga o Jornal de Brasília

Economia

Bolsonaro diz que PIB veio em boa hora e que governo espera crescimento no 4º tri

Bolsonaro disse que assumiu o governo em crise “ética, moral e econômica bastante grave”. “Com o trabalho de conselheiros estamos obtendo sucesso”, disse

Aline Rocha

Publicado

em

Foto: Evaristo SA/AFP
PUBLICIDADE

Da Redação
redacao@grupojbr.com

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse nesta terça-feira, 3, que sua equipe econômica já esperava uma “boa notícia” sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e que a previsão é de nova alta para o quarto trimestre. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB avançou 0,6% no terceiro trimestre em relação ao segundo.

O resultado superou a mediana do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo Projeções Broadcast (0,40%; com projeções de 0,30% a 0,70%).

“É algo inesperado para os analistas econômicos, mas da nossa parte sabíamos que viria uma boa notícia. Ela veio em boa hora. E a nossa equipe diz que previsão para o quarto trimestre é crescer. O Brasil está crescendo”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que assumiu o governo em crise “ética, moral e econômica bastante grave”. “Com o trabalho de conselheiros estamos obtendo sucesso”, disse.

As declarações de Bolsonaro foram feitas em evento sobre combate à corrupção promovido pela CGU.

Mais cedo, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente disse que traria nesta terça-feira uma boa notícia.

Durante o evento, o presidente anunciou que tratava-se do resultado do PIB e errou ao afirmar que a imprensa ainda não havia divulgado o crescimento.

Indústrias extrativas sobem 12,0% no 3º trimestre ante 2º trimestre

As indústrias extrativas cresceram 12,0% no terceiro trimestre de 2019 em relação ao segundo trimestre de 2019. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou nesta terça-feira, 3, os resultados das Contas Nacionais Trimestrais.

A construção teve expansão de 1,3% no período, enquanto as atividades financeiras subiram 1,2%. O comércio teve um avanço de 1,1% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre do ano, o setor de informação e comunicação cresceu 1,1%, e as atividades imobiliárias tiveram alta de 0,3%.

Por outro lado, a indústria de transformação amargou um recuo de 1,0% na passagem do segundo trimestre para o terceiro trimestre de 2019.

A atividade de transporte e armazenagem encolheu 0,1%, e administração, defesa, saúde e educação públicas recuaram 0,6%. O setor de produção e distribuição de eletricidade, gás e água diminuiu 0,9%.

País tem necessidade de financiamento de R$ 75,0 bi no 3º tri

O País registrou uma necessidade de financiamento de R$ 75,0 bilhões no terceiro trimestre de 2019, ante um total de R$ 51,9 bilhões no terceiro trimestre de 2018. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou nesta terça-feira, 3, os resultados das Contas Nacionais Trimestrais.

O saldo externo de bens e serviços teve um déficit de R$ 25,4 bilhões no terceiro trimestre de 2019, ante um déficit de R$ 2,9 bilhões no terceiro trimestre de 2018.

Já a renda líquida de propriedade enviada ao resto do mundo passou a R$ 52,4 bilhões no terceiro trimestre de 2019, ante um envio de R$ 48,0 bilhões no terceiro trimestre de 2018.

Nível do PIB está 3,6% abaixo do pico, registrado no 1º tri de 2014

Com o crescimento registrado no terceiro trimestre, o nível do Produto Interno Bruto (PIB) está 3,6% abaixo do pico, registrado no primeiro trimestre de 2014, o último antes de a economia brasileira entrar no ciclo recessivo que durou até 2016, informou nesta terça-feira, 3, a coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis.

Após entrar no ciclo de retração, no segundo trimestre de 2014, o PIB caiu até atingir o ponto mais baixo, no quarto trimestre de 2016. Desde que voltou a crescer e, portanto, deixou a recessão para trás, a partir do primeiro trimestre de 2017, o PIB brasileiro acumula alta de 4,9% até o terceiro trimestre deste ano, disse ela. Em nível, o PIB do terceiro trimestre está no mesmo patamar do terceiro trimestre de 2012.

Para a pesquisadora do IBGE, o ritmo de crescimento do PIB no terceiro trimestre é o mesmo do segundo trimestre. No período de julho a setembro, houve alta de 0,6% no PIB ante o trimestre imediatamente anterior. No período de abril a junho, a alta foi de 0,5%, na mesma base de comparação. A diferença é estatisticamente irrelevante, disse Rebeca.

“É uma melhora mais ou menos contínua, mas não muito acelerada”, afirmou Rebeca.

 

Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *