Siga o Jornal de Brasília

Economia

BNDES: É possível pagar R$ 200 bi para Tesouro até o fim do atual governo

Segundo a assessoria de imprensa do banco, a instituição já pagou R$ 4,9 bilhões de dividendos ao governo até setembro

Aline Rocha

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

Da Redação
redacao@grupojbr.com

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, afirmou nesta quarta que é possível pagar R$ 200 bilhões ao Tesouro até o fim do mandato do presidente Jair Bolsonaro, que termina em 2022. Só em 2019 serão devolvidos R$ 126 bilhões, disse Montezano, que participa do Bradesco CEO Forum, em Nova York.

Segundo a assessoria de imprensa do banco, a instituição já pagou R$ 4,9 bilhões de dividendos ao governo até setembro. Na terça, foram pagos mais R$ 4,6 bilhões.

O presidente do BNDES afirmou também, no evento, que o saneamento é uma área “muito importante” para o banco. Disse ainda que a venda de portfólio de ações da instituição vai fortalecer o mercado de capitais.

BNDES elege Marcelo Serfaty e Marcelo Sampaio para Conselho de Administração

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou que Marcelo Serfaty e Marcelo Sampaio foram eleitos, nesta quarta-feira, dia 20, para o Conselho de Administração do banco de fomento em Assembleia Geral Extraordinária. A ida de Serfaty para o BNDES e saída do Conselho de Administração do Banco do Brasil foi antecipada pela Coluna do Broadcast em outubro. Conforme apurou a Coluna, Serfaty teria como missão no banco de fomento ajudar e acelerar no processo de venda de ativos.

Serfaty entregou a renúncia do conselho do BB na última segunda-feira. Ele é sócio-fundador do fundo de private equity G5 Partners, em atividade desde 2007. Quando Serfaty foi indicado ao Conselho do BB, a Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (Anabb) entrou com uma representação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), alegando que seu nome representava conflito de interesse.

Anteriormente ao Conselho de Administração do BB, foi fundador e CEO da Fiducia Asset Management e sócio e membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva do Banco Pactual. No início de sua carreira profissional, coordenou as áreas de planejamento estratégico e pesquisa macroeconômica do Banco Bozano Simonsen. Sua formação acadêmica inclui bacharelado em Administração de Empresas, mestrado e doutorado em Economia pela Fundação Getúlio Vargas. Também é bacharel em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Marcelo Sampaio é Secretário Executivo do Ministério da Infraestrutura e desempenha funções de coordenador da Conaportos e Conaero. Em janeiro de 2019, assumiu a presidência do Conselho de Administração do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT). Antes disso, foi Subchefe Adjunto de Gestão Pública da Presidência da República e Assessor de Infraestrutura de Transportes no Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Ele se formou em Engenharia Civil e é Mestre em Planejamento de Transportes pela Universidade de Brasília.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade