fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Auxílio de R$ 600: quem teve a conta desbloqueada não terá pagamento prejudicado

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Cidadania, ao todos foram bloqueados cerca de 1,3 milhão de CPFs

Avatar

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

De acordo com a Caixa Econômica Federal, os beneficiários do Auxílio Emergencial que tiveram a conta digital bloqueada por suspeitas de fraudes ou inconsistências cadastrais não correm risco de perder o pagamento. Ainda segundo o banco, essas pessoas irão receber a parcela do auxílio emergencial, cuja data tenha passado, assim que o desbloqueio for concluído.

A medida serve para não afetar o calendário de pagamento. De acordo com o cronograma, os beneficiários que nasceram em janeiro e fevereiro e foram bloqueados receberão as parcelas, que deveriam ter sido pagas na quarta (22) e na sexta-feira (24), assim que a conta for desbloqueada.

Contas bloqueadas

De acordo com as informações divulgadas pelo Ministério da Cidadania, ao todo foram bloqueados cerca de 1,3 milhão de CPFs. As contas foram divididas em dois grupos: bloqueadas por inconsistências cadastrais, que representam 49%, e as bloqueadas por suspeita de fraude, que representam 51% do total. 

Para os que sofreram o bloqueio por inconsistências cadastrais no aplicativo Caixa Tem, será possível regularizar a situação de forma online. De acordo com a Caixa Econômica Federal, a análise deve durar cerca de 24 horas. Se a documentação enviada estiver correta, o acesso é liberado automaticamente. Caso contrário, o beneficiário terá que ir até uma agência. É necessário ficar atento ao prazo para regularizar a situação. Quem nasceu em janeiro, fevereiro ou março, por exemplo, teria que ter resolvido o cadastro até a sexta-feira (24).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segue abaixo o cronograma:

janeiro, fevereiro e março: até 24 de julho;
abril e maio: entre 27 e 31 de julho;
junho e julho: entre 3 e 7 de agosto;
agosto, setembro e outubro: entre 10 e 14 de agosto;
novembro e dezembro: entre 17 e 21 de agosto.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o calendário serve para evitar aglomerações em meio a pandemia do novo coronavírus. 




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade