fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Arrecadação é recorde para janeiro e soma R$ 174,991 bilhões, diz Receita

Nem o mais otimista dos analistas do mercado financeiro previu uma arrecadação tão forte no primeiro mês de 2020

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O governo começou 2020 com recorde na arrecadação de tributos federais. Em janeiro, a arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 174,991 bilhões, um aumento real (já descontada a inflação) de 4,69% na comparação com o primeiro mês de 2019. O valor arrecadado no ano passado foi o melhor da história para o mês, de acordo com a Receita Federal.

Nem o mais otimista dos analistas do mercado financeiro previu uma arrecadação tão forte no primeiro mês de 2020.

O resultado de janeiro superou o teto das expectativas de 23 instituições ouvidas pelo Projeções Broadcast. O intervalo ia de R$ 122,440 bilhões a R$ 174,700 bilhões, com mediana de R$ 167,500 bilhões.

Fatores

De acordo com a Receita Federal, a alta tem relação com o crescimento de 16,45% na arrecadação do IRPJ/CSLL e de arrecadação atípicas de R$ 2,8 bilhões, além do aumento da arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física relacionado ao ganho de capital e ganhos líquidos de operações em bolsa.

Desonerações

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 8,212 bilhões em janeiro de 2020, valor maior do que no mesmo mês de 2019, quando ficou em R$ 7,872 bilhões.

Só a desoneração da folha de pagamentos custou aos cofres federais R$ 860 milhões em janeiro.

Petrobras

A Petrobrás fechou o ano de 2019 com lucro de R$ 40,1 bilhões, uma alta de 55,7% em relação ao ano anterior. O resultado se trata de um recorde histórico, de acordo com o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco.

No quarto trimestre, o lucro da estatal de petróleo disparou 287%, para R$ 8,15 bilhões.

Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade