Siga o Jornal de Brasília

Entretenimento

Uma celebração à cultura francófona

Em sua 21ª edição, o Festival da Francofonia chega ao Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília com atração musical da França e mostra de cinema

Março é um mês aguardado por muitos brasilienses. Afinal, há 21 anos é realizado o Festival da Francofonia em Brasília, sempre nesta época. Como vem acontecendo ao longo de várias edições do evento, o Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília vai abrigar parte da programação. E vai ser no teatro do CCBB que o cantor francês Mathieu Boogaerts mostrará todo seu talento, no dia 20 de março.

Cena da animação “Minha vida de abobrinha”.

 

Com mais de duas décadas de carreira, o artista é um criador incansável, um mestre em poesia e um músico fervoroso. Essencialmente minimalista (e reverenciado por músicos de destaque no cenário mundial como Dick Annegarn, Camellia Jordana e Vanessa Paradis), ele conduz o público nas encostas suaves do devaneio. Cantor com carisma discreto e bom humor, ele sempre aborda as sutilezas da vida.

No dia seguinte (21) começa também a Mostra de Cinema Francófono, que se estende até 31 de março. De comédia a romance, passando por drama e outros gêneros cinematográficos, a seleção apresenta um rico recorte da cultura francófona com representantes da Bélgica, Burkina Faso, do Canadá, da Costa do Marfim, França, Eslovênia, do Senegal e da Suíça. Oportunidade única para conhecer a rica cultura desses países pelo olhar da sétima arte, em sessões gratuitas durante a semana e aos sábados e domingos.

Destaque para a animação Aya de Yopougon, da Costa do Marfim. Concorreu ao César 2014 na categoria “Melhor filme de animação” e ganhou o Prêmio do grande Festival de Angoulême (2006). Também merece atenção “Entre nós, o estranho”, documentário brasileiro de Guto Pasko que apresenta um retrato da presença ucraniana no sul do Brasil contemporâneo. “A tradicional mostra de cinema francófono conta com uma seleção de 12 filmes, em sua maioria inéditos nas telas brasilienses”, comenta Matthieu Bernard, diretor da Aliança Francesa de Brasília.

Cena do filme “Entre nós, o estranho”.

“Especialmente na capital do país, a língua francesa constitui uma maneira de acessar o mundo de hoje, é uma ferramenta de comunicação, de reflexão e de criação que favorece a troca de experiências, a mobilidade acadêmica e de maneira geral, o diálogo intercultural”, afirma.

A FRANCOFONIA

A francofonia nasceu da iniciativa de três eminentes francófonos e Chefes de Estados africanos: Léopolde Sédar, Senegal; Habib Bourguiba, Tunísia, e Hamami Diori, do Níger. O dia 20 de março foi escolhido como Dia Internacional da Francofonia por ter sido a data da assinatura da Convenção da criação da Agência de Cooperação Cultural e Técnica (ACCT) em Niamey, Niger, no ano 1970.

Em 1997, a ACCT foi transformada em Organização Internacional da Francofonia (OIF) por disposição adotada durante a Cúpula realizada em Hanói, Vietnã, revisada em 2005, durante a Conferência de Antananarivo, Madagascar.

Trata-se de um dispositivo institucional que organiza as relações políticas e de cooperação entre os estados e governos da OIF.  Comunidade linguística, que envolve entidades estatais e governamentais que têm em comum a língua francesa e compartilham valores humanistas, culturais e democráticos.

Em janeiro de 2015, a Sra. Michaëlle Jean, canadense de origem haitiana, ex-governadora geral do Canadá, foi empossada como nova secretária geral da Organização Internacional da Francofonia. Ela se tornou a primeira mulher e a primeira personalidade não africana a ocupar esse alto cargo. A Sra. Jean deixou com sua família seu país natal, Haiti, e foi para o Canadá fugindo da ditadura de Duvalier quando ela tinha apenas 11 anos de idade.

Atualmente, a OIF integra 80 países espalhados pelos cinco continentes, sendo 54 membros, 23 observadores e três estados associados.

A 21ª edição do Festival da Francofonia, em Brasília, é presidida pela Embaixada do Gabão.

Lista de filmes:

Aya de Yopougon (Aya de Yopougon)

Direção: Marguerite Abouet e Clément Oubrerie. Ano: 2011. Gênero: Animação. País: Costa do Marfim. Duração: 84 min. Classificação indicativa: 10 anos.

Sinopse: Final dos anos setenta, Aya e suas duas amigas, Adjoua e Bintou, têm 19 anos e vivem em Abidjan, na Costa do Marfim. Enquanto Adjoua e Bintou preferem aproveitar essa virtude saindo à noite e procurando um marido, Aya tem outra ambição, ser médica.

Hoje (Aujourd´hui)

Direção: Alain Gomis. Ano: 2012. Gênero: Drama. País: França / Senegal. Duração: 86 min. Classificação indicativa: 14 anos.

Sinopse: Exuberante e poético, um cativante retrato do Senegal é apresentado através um homem que aguarda sua sentença de morte por um julgamento. Ele então decide fazer do seu último dia de vida, o melhor de todos.

Tempestade (Tempête)

Direção: Samuel Collardey. Ano: 2016. Gênero: Comédia / Drama. País: França. Duração: 79 min. Classificação indicativa: 14 anos.

Sinopse: Aos 36 anos, Dom é um marinheiro a bordo do Petit Gael II, um barco de pesca do porto de Sables d’Olonne. Desde seu divórcio, um ano atrás, sua filha Mailys, e seu filho Matteo, escolheram viver com ele, apesar de sua ausência. Quando Mailys fica grávida, Dom percebe que ele deve fazer escolhas.

Boa sorte Argélia (Goodluck Algeria)

Direção: Fami Bentoumi. Ano: 2015. Gênero: Comédia / Ficção. País: França. Duração: 90 min. Classificação indicativa: Livre.

Sinopse: Sam e Stéphane, dois amigos de infância, são sócios em um negócio de equipamentos de esqui. Quando surge uma ameaça às finanças, eles optam por apostar na incerteza: os Jogos Olímpicos na Argélia. Além da prática esportiva, esse desafio fará com que Sam se reconecte com algumas de suas raízes.

O quadro (Le Tableau)

Direção: Jean-François Laguionie. Ano: 2011. Gênero: Animação. País: Bélgica / França. Duração: 76 min. Classificação indicativa: Livre.

Sinopse: Um quadro inacabado onde vivem três tipos de personagens: os que estão totalmente pintados, detentores do poder e que se julgam superiores; aqueles com pequenos detalhes sem tinta; e os que são apenas esboços, sofrendo o desprezo e a violência dos primeiros. Uma história de amor entre duas dessas “classes”, que extrapola os limites do quadro à procura do pintor para que ele termine seu trabalho.

Pânico (Panika)

Direção: Panika Bárbara Zemljic. Ano: 2013. Gênero: Comédia / Drama. País: Eslovênia. Classificação indicativa: 14 anos.

Sinopse: Buscando dar mais emoção à vida, uma mulher na faixa dos 30 anos inicia um caso extraconjugal. Mesmo perdendo o marido, o emprego e, também o amante, ela acha que ela deve recomeçar e prezar pela diversão.

A economia do amor (L’économie du couple)

Direção: Joachim Lafosse. Ano: 2016. Classificação: Drama. País: Bélgica / França. Duração: 98 min. Classificação indicativa: 10 anos.

Sinopse: Marie e Boris decidem se divorciar depois de 15 anos de casados. Marie comprou a casa que eles vivem juntos com suas duas filhas, mas foi Boris quem pagou pela reforma e transformou completamente o lugar. Em desacordo na divisão do imóvel, o casal tem que continuar dividindo o mesmo espaço até que entrem em um consenso.

Entre nós, o estranho     

Direção: Guto Pasko. Ano: 2015. Gênero: Documentário. País: Brasil. Duração: 83 min. Classificação indicativa: Livre.

Sinopse: O documentário apresenta o cotidiano dos moradores de Prudentópolis, cidade do sul do país onde 75% da população é de origem ucraniana. Por mais de um século, os brasileiros do local tiveram que compartilhar seus costumes com os daquele povo, cuja história já faz parte do local.

Minha vida de abobrinha (Ma vie de courgette)

Direção: Claude Barras. Ano: 2016. Gênero: Animação. País: Suíça / França. Duração: 66 min. Classificação indicativa: 10 anos.

Abobrinha é um apelido intrigante para um menino de 9 anos de idade, cuja história é surpreendentemente universal. Após a morte repentina de sua mãe, Abobrinha luta para encontrar seu lugar em um novo lar que lhe é estranho e, por vezes, hostil. No entanto, ele contará com a ajuda de Raimundo, seu novo amigo, nessa nova e desconhecida jornada.

Sarah interpreta um lobisomem (Sarah joue un loup-garou)

Direção: Katharina Wyss. Ano: 2017. Gênero: Ficção. País: Suíça / Alemanha. Duração: 86 min. Classificação indicativa: 14 anos.

Sinopse: No palco, Sarah, uma garota de 17 anos, dá o máximo de si. Quando atua, ela se transforma completamente no personagem. Mas quais mentiras se escondem em sua presença radical em cena? Um segredo a ponto de ser revelado. Sarah anseia por alguém em que possa confiar. Entretanto, quanto mais ela manifesta esse desejo, mais acaba afastando as pessoas dispostas a se aproximar dela.

A paixão da Augustine (La Passion de Augustine)

Direção: Léa Pool. Ano: 2014. Gênero: Drama. País: Canadá. Duração: 103 min. Classificação indicativa: Livre.

Sinopse: Nos anos 60, Madre Augustine dirige uma escola convento para meninas, que transforma em um tesouro musical: suas alunas vencem todas as competições de prestígio na região. Quando o governo ameaça fechar a escola, seu mundo vira de pernas para o ar. Ela e as demais freiras são forçadas a buscar uma nova vocação em sua alma.

O olho do furacão (L’œil du cyclone)

Direção: Sékou Traoré. Ano: 2015. Gênero: Drama. País: Burkina Faso. Duração: 97 min. Classificação indicativa: Livre.

Sinopse: Emma, uma jovem advogada, ainda vive com a sombra de suas memórias de infância: ela se refugiou com sua família, quando um grupo de rebeldes invadiu uma área de mineração, onde seu pai trabalhava. Vinte anos depois, o grupo continua a resistir às forças do governo. Um dia, um juiz pede a Emma para defender um desses rebeldes capturados pelo exército.

Programação:

21/03 (quarta-feira)

Boa sorte Argélia – 17h

A Paixão de Augustine – 19h30

22/03 (quinta-feira)

Aya de Yopougon – 17h

Pânico – 19h30

23/03 (sexta-feira)

O Quadro – 17h

Entre nós, o estranho – 19h30

24/03 (sábado)

A Economia do Amor – 17h

Sarah interpreta um lobisomem – 19h30

25/03 (domingo)

Minha vida de Abobrinha – 15h

Boa sorte Argélia – 17h

Tempestade – 19h30

27/03 (terça-feira)

O olho do furacão – 17h

A Economia do Amor – 19h30

28/03 (quarta-feira)

Entre nós, o estranho – 17h

Pânico – 19h30

29/03 (quinta-feira)

Hoje – 17h

Sarah interpreta um lobisomem – 19h30

31/03 (sábado)

Minha vida de Abobrinha – 15h

A Paixão de Augustine – 17h

Tempestade – 19h30

Serviço:

Festival da Francofonia

Mostra de cinema

Data: De 21 a 31 de março

Local: CCBB

Endereço: SCES Trecho 2, Lote 22 – Asa Sul, Brasília – DF

Entrada franca, mediante retirada de ingressos 1h antes do evento, na bilheteria

Horários e classificação indicativa disponíveis no site www.bb.com.br/cultura e no facebook.com/ccbb.brasilia

+ Infos: (61) 3108-7600

Show de Mathieu Boogaerts

Data: 20 de março

Horário: 20h

Local: CCBB

Endereço: SCES Trecho 2, Lote 22 – Asa Sul, Brasília – DF

Entrada franca, mediante retirada de ingressos 2h antes do evento, na bilheteria

Horários e classificação indicativa disponíveis no site www.bb.com.br/cultura e no facebook.com/ccbb.brasilia

+ Infos: (61) 3108-7600

Você pode gostar
Publicidade