Siga o Jornal de Brasília

Teatro e Dança

Espetáculo de dança “Mosh” acontece em Brasília

O espetáculo traz um depoimento pessoal em dança-teatro sobre o que é a
violência para cada um de seus intérpretes, usando o punk rock como pano de
fundo

Publicado

em

Estreia nos dias 24 e 25 de agosto, dentro da programação do Festival Cena Contemporânea, o espetáculo de dança Mosh, que tem como tema central a violência. Ao usar o Punk Rock como pano de fundo para abordar questões de dominação, frustração e desespero, as cenas podem culminar em episódios de violência ou serem sublimadas a partir da ternura e do afeto.

Em cena dança, teatro, poesia e música se juntam em uma ficção pessoal e
qualquer semelhança com a realidade dos que a interpretam NÃO é mera
coincidência. Fazendo uso de jogos coreográficos de improvisação em dança, o espetáculo abre espaço para a expressão corporal, numa tentativa de comunicação universal.

O corpo dança e as imagens configuram cenas poéticas. E, se a violência pode ser danosa na vida em sociedade, ela pode também transmutar-se em
estranhamentos e percepções estéticas no palco, tornando-se arte.
Mosh ou Mosh pit (bate-cabeça ou roda punk em português) é uma dança que acontece em shows, originalmente de punk rock, em que indivíduos se
esbarram e colidem em um ato que pode parecer violento ao estranho, mas
que tem “regras de etiqueta” entre os participantes.

O Mosh pode ser uma metáfora para o universo masculino, pois parece
violento, aparenta agressividade (movimentos bruscos e potentes), mas está
baseado num sentimento de pertencimento e de união. A agressividade não
precisa transbordar necessariamente para violência.

Para equilibrar ou desconstruir esse universo denominado como “masculino”, o elenco é integrado por Carolina Höfs, que trabalha com dança desde 2002 e em seus projetos agrega à dança questionamentos da antropologia, sua formação acadêmica.


Você pode gostar
Publicidade