fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Literatura

Gestão Pública em três níveis

Gestão Pública Em Três Níveis traz dois capítulos, subdivididos em 18 tópicos que abordam temas variados

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Editado com a intenção de orientar gestores, especialmente do setor público, a fim de que trilhem com segurança o caminho de uma boa gestão, na obra Gestão Pública Em Três Níveis o autor se utiliza da transcrição de artigos para trazer suas percepções e vivências na esfera pública, apresentando os desafios enfrentados ao longo de uma vida dedicada ao estudo e prática na área que permeia de forma abrangente todos os setores da sociedade.

Gestão Pública Em Três Níveis traz dois capítulos, subdivididos em 18 tópicos que abordam temas variados, indo desde a conceitualização da administração pública nos níveis Federal, Estadual e Municipal, até os debates sobre questões essencialmente sociais, como é o caso do título Segurança é Responsabilidade do Estado.

Ao longo de suas 118 páginas, Francisco traz também à luz, a Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, que discorre sobre as normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, demonstrando sua linha de trabalho em relação ao combate à corrupção dentro da esfera pública.

Outro ponto importante a ser destacado na obra é a apresentação do Projeto Aurora da Vida no item Um Projeto, Um Avanço Social. Nesse momento, o autor conta sobre a concepção de um programa voltado para, principalmente, a adoção de medidas assistenciais capazes de promover o resgate e a reabilitação social de pessoas que vivem à margem da sociedade.

Além disso, o debate sobre a emergência dos direitos sociais também compõe a discussão que Francisco traz e é abordada após uma contextualização feita com bastante propriedade sobre os padrões civilizatórios nas Constituições de 1934 a 1988.

A Situação Política no Brasil é outro título encontrado no livro. Perpassando pela corrupção e sua história, regime militar e os governos Collor, Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer, a obra demonstra sua atualidade, tratando de forma objetiva os exemplos de casos de corrompimento em cada um dos governos citados.

Como todo bom livro que se preste para além de trazer conceitos e citação de fatos, o Gestão Pública Em Três Níveis tem, em sua conclusão, um verdadeiro manual de boas práticas quando falamos em uma gestão eficaz e eficiente.

Os benefícios de um sistema de gestão pública para gestores e servidores relaciona uma série de vantagens, tanto para os profissionais que atuam no setor público, quanto para a sociedade que, de maneira geral, beneficia-se com a agilidade e rapidez dos processos quando da modernização tecnológica de sistemas e fluxos.

Após uma leitura acurada da obra, temos a sensação de que não só, há esperanças para um modelo de gestão comprometido e focado nos interesses da população, principalmente dos níveis mais carentes, como também, já experimentamos a vivência desses tempos. Conforme demonstra Francisco ao contar suas experiências e práticas que o trouxeram a presidir um novo modelo de gestão em saúde pública com a propriedade de quem estuda e se dedica ao tema de forma intensa desde o início de sua carreira.

De leitora fácil e bastante didática, gestores públicos de todos os segmentos devem ter Gestão Pública Em Três Níveis não apenas como seu livro de cabeceira, mas sim, como um tutorial para uso frequente e consumo diário de ideias de quem muito já viu e viveu na esfera pública. Apropriado do tema na teoria e na prática, o autor traz para a obra toda a sua coragem de quem assume desafios diários com o intuito de proporcionar a comunidade onde está inserido uma vida mais saudável e feliz.

Francisco Araújo é graduado em Serviço Social e especializado em Gestão e Saúde Pública pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Autor da obra O Manual do Gestor, Francisco Araújo, foi secretário de Saúde e vereador pelo município de Cajueiro, em Alagoas, e trabalhou como diretor administrativo e financeiro na Secretaria do Trabalho de Alagoas e no Instituto Zumbi dos Palmares. Também, atuou como secretário municipal de Assistência Social em Maceió/AL, e assessor técnico de gabinete da Secretaria de Comunicação da Câmara Federal. O autor também foi diretor de Risco e Reabilitação Urbana do Ministério das Cidades e consultor de Gestão Pública. Após atuar como secretário adjunto da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo é, atualmente, diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF).


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade