fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Entretenimento

Literatura: lançamento de Aylê-Salassié é adiado

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da Redação
cultura@grupojbr.com

Em três anos, o jornalista e doutor em História Cultural Aylê-Salassié F. Quintão reuniu 100 artigos produzidos por ele sobre o fim do governo Dilma, o impeachment e o desenvolvimento do governo Temer. Inicialmente publicado em plataformas digitais, como Linkedin, Facebook e Twitter, o material foi condensado e publicado em 383 páginas lançadas agora em Pinguela, A Maldição do Vice.

Entre 1889 e 2018, o Brasil contou com 35 presidentes, dentre os quais apenas 19 cumpriram 100% o mandato. Levando esse dado em conta, o autor explora na obra a história dos vices brasileiros, e faz uma comparação com o governo Temer e o futuro incerto.

Com lançamento em pleno ano eleitoral, Aylê-Salassié explica a importância da publicação para 2018: “Quero registrar o papel do vice. Todos eles causaram algum problema na história. Quero mostrar a análise jornalística, de cotidiano, do governo Temer”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Cargo de vice-presidente é uma maldição”, define o autor. Intitulado a partir de uma fala do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre Temer, Pinguela não fica apenas na opinião pessoal de Fernando Henrique. “O governo Temer é literalmente uma pinguela que ameaça cair”, opina Aylê.

Com capa do artista Newton Sheufler e prefácio do jornalista Hélio Doyle, Pinguela, A Maldição do Vice é lançado pela editora Otimismo e pode ser encontrado em livrarias da Universidade de Brasília e no campus.

Um dos lançamentos do livro estava marcado para esta terça (29), no restaurante Carpe Diem, porém o evento foi cancelado devido à greve dos caminhoneiros. “Seria uma maldade mobilizar meus amigos que, em geral, moram longe, para ir ao Carpe Diem comprar meu livro. Não sou tão ansioso assim”, brinca o escritor.

Além de jornalista e doutor em História Cultural, o mineiro de Piraúba é autor de outros 10 livros, entre eles O Jornalismo Econômico no Brasil Depois de 1964, Americanidade Mercosul: Passaporte para a Integração e Rupturas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade