Siga o Jornal de Brasília

Cinema

52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: Elas no comando

Leonardo Resende

Publicado

em

PUBLICIDADE

Glória Teixeira e grande elenco do documentário honroso Dulcina faz uma paráfrase em boa tonalidade antes da exibição de seu longa-metragem: “Eu coleciono emoções”. Algo dito por Dulcina de Moraes durante toda sua vida e visto dentro do lindíssimo filme que honra a vida da atriz. 

Antes dessa exibição, Fabíola de Andrade, exibiu o poderoso Encanto Feminino, resultado da disciplina “Etnologia visual da imagem do negro no cinema”, realizado na Universidade de Brasília (UnB). 

Ambos participantes da Mostra Brasília Brb de Cinema. Na Mostra Competitiva, Parabéns a Você, de Andréia Kaláboa inaugurou a quarta noite da competitiva pra o festival. 

Entretanto, mesmo de mostras distintas, todas obras citadas aqui possuem um traço em comum. Uma característica que, felizmente, tem aumentado em todas as instâncias do cinema (seja ele internacional, comercial, independente e nacional). Festivais tem sido um dos pontapés iniciais para essa possibilidade e todos os filmes participantes desta edições do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro mostraram como o olhar feminino é um poderio essencial para o desenvolvimento de narrativa destes filmes. 

Ode à grande Dulcina de Moraes

Com Dulcina, Glória Teixeira deixou toda sua empatia pela temática explícita em tela. Um dos materiais mais generosos, bem construídos e repleto de respeito pela grande atriz brasileira. Com depoimentos que fundamental o tom do filme, incluindo de Nicette Bruno, Fernanda Montenegro, Ruth de Souza, entre outros grande nomes. 

Teixeira conseguiu, intercalando momentos encenados da vida da atriz, delinear muito bem a grande personalidade de Dulcina de Moraes e sua influência para o teatro brasileiro. Ao mesmo tempo, demonstra a importância da Faculdade Dulcina de Moraes – que passa por um momento delicado –  para o crescimento cultural do Distrito Federal. 

A força da beleza feminina

Assim como Glória Teixeira, Fabíola de Andrade deixou toda a sua inspiração pessoal implícita em tela, fazendo um belíssimo trabalho em mostrar as particularidades da beleza feminina, aliadas às narrações poéticas e imagens fabulosas de mulheres negras. 

Foto – Divulgação

Pitada de nostalgia 

Para Andréia Kaláboa, de Parabéns a Você, filme que conta a história de uma menina que quer ter sua festinha de aniversário com um bolo, suco de saquinho e amigos ao redor, o ingrediente mais valioso e utilizado pela diretora é a nostalgia. 

Com um elenco mirim dirigido com muito zelo por Kaláboa, o momento de felicitação da pequena Yulia é ameaçado pela morte de seu primo. 

São três filmes, três histórias diferentes, mas que apontam com muito brilhantismo o protagonismo necessário da mulher dentro do cinema. Infelizes aqueles que acreditam que o papel feminino se resume a subalternidade. A tela e o momento são todos delas! Elas comandam! 

Por Leonardo Resende

@leonard0resende


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade