fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Celebridades

Juiz impede que defesa de Cuba Gooding Jr. questione vítima do ator sobre seus seios

A Promotoria afirmou que, apesar de as acusações partirem de três mulheres, 29 teriam se apresentado alegando algum abuso por parte do ator

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

Um juiz de Manhattan negou, nesta quinta-feira (13), uma moção da defesa do ator Cuba Gooding Jr., 52, que queria interrogar uma das mulheres que o acusa de abuso sexual para questionar sobre seus seios. Segundo o advogado, a percepção que ela tem de seu corpo afetaria sua visão sobre agressão sexual.

“Você pretende perguntar à testemunha como ela se sente sobre o tamanho de seus seios?”, questionou o juiz da Suprema Corte de Justiça de Manhattan, Curtis Farber, segundo o jornal Daily Mail. O advogado de defesa Peter Toumbekis respondeu que sim, durante uma conferência pré-julgamento.

O advogado do ator argumentou que os sentimentos negativos da mulher sobre seu corpo – que ela já teria exposto em comentários na internet– afetaram suas percepções de agressão sexual e as alegações que ela fez contra Cuba Gooding Jr.

A promotora assistente Jenna Long classificou a pergunta do advogado como “simplesmente ofensiva”, com o objetivo de “embaraçar e ofender” a suposta vítima. Já o juiz afirmou que não via sentido no questionamento da defesa e ordenou que o advogado não poderia fazer a tal pergunta à mulher.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o Daily Mail, Cuba Gooding Jr. foi questionado por repórteres sobre o argumento de seu advogado na saída do tribunal, mas respondeu apenas que “a vida dos negros é importante”. Na audiência, ele se declarou inocente das acusações de tocar três mulheres sem o consentimento delas.

A Promotoria afirmou que, apesar de as acusações partirem de três mulheres, 29 teriam se apresentado alegando algum abuso por parte do ator, como beijos e toques forçados. A previsão é que o julgamento comece no próximo mês, após vários adiamentos, e o ator pode ser condenado a um ano de prisão.

As informações são da FolhaPress




Leia também


Publicidade