Siga o Jornal de Brasília

Entretenimento

Brasiliense Ops lança primeiro disco solo

Publicado

em

Larissa Galli
[email protected]

Letras que mexem com o pensamento e ritmos que mexem com o corpo. É isso que o primeiro disco solo de Rafael Ops, ou somente Ops, traz. O álbum Não Tá Tudo Bem expõe uma visão panorâmica da realidade não só brasileira, mas mundial, refletida pelo crescimento do conservadorismo nos últimos anos. O show de lançamento do disco acontece sexta-feira (27), no Teatro Dulcina (Setor de Diversões Sul), a partir das 21h.

Ops trata do consumismo, da apatia, do aquecimento global e até da intolerância religiosa. “Não tinha como meu primeiro disco não ser sobre esse temas. A gente tem uma obrigação de falar sobre isso no nosso trabalho”, justifica. Ele canta sobre tudo isso em ritmos dançantes, com influência da sua carreira de DJ, no coletivo Criolina, e da cultura africana. “A maioria das músicas de protesto passam pela dança, como o samba e os ritmos angolanos, como o Zouk, o Kizomba e o Kuduro”, explica.

As letras são fortes, políticas, pesadas e até tristes, mas com o objetivo de provocar reflexão. Conhecido na cena brasiliense por seu trabalho como DJ e produtor cultural no Criolina, agora ele investe na carreira solo, sem deixar de lado as influências dessa trajetória. “Eu vejo a inserção de letras na minha música como uma evolução do trabalho eletrônico”, conta. “Eu me sentia incompleto por não tratar de temas mais relevantes e só fazer a alegria da galera”, revela, ao JBr.

De acordo com Ops, Não Tá Tudo Bem traz muitas referências das experiências do artista no passado. “Esse disco trouxe de volta o início da carreira de músico, na cena do indie rock no início dos anos 2000, e também um pouco do ator que existe em mim”, conta o músico, que é formado em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília. “É uma grande fusão de tudo que eu aprendi no coletivo Criolina, com o que vivi nas bandas de rock”, completa.

O disco segue uma estética de quem “construiu tudo sozinho no computador”, afirma Ops. Na apresentação de sexta-feira, o cantor estará acompanhado de banda, formada por membros das também brasilienses Scalene e Móveis Coloniais de Acaju. O show também conta com a abertura das bandas Zé Krishna e Amigos Eternos.

SERVIÇO

Sexta-feira, às 21h, no Teatro Dulcina (Setor de Diversões Sul). Ingressos antecipados: R$ 25. Informações: 99578-8013. Não recomendado para menores de 18 anos.

Não Tá Tudo Bem está disponível em todas as plataformas de streaming. Ouça no Spotify, Deezer, Apple Music ou Youtube.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade