fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Vigilância Sanitária fiscalizou mais de 4,7 mil bares e restaurantes no DF

As ações da Vigilância Sanitária seguem reforçadas desde a reabertura dos estabelecimentos, no dia 15 de julho

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Desde a reabertura dos bares e restaurantes, em 15 de julho, a Vigilância Sanitária fiscalizou 4.790 estabelecimentos em todo o DF para verificar o cumprimento das medidas de saúde necessárias ao enfrentamento à pandemia de Covid-19. Ao todo, 282 bares e restaurantes foram autuados e 38 precisaram ser interditados por não seguirem os protocolos.

“Aumentamos nossa capacidade de resposta para atender as demandas de enfrentamento da pandemia com ações noturnas e nos finais de semana”, informa a gerente de fiscalização da Vigilância Sanitária, Márcia Olivé.

Com base no registro de aglomerações e desrespeito às regras de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, o GDF publicou um novo decreto na última terça-feira (1º), determinando que bares e restaurantes encerrem as atividades às 23h. Outro decreto, publicado nesta quinta-feira (3), abre exceção para que, nos dias 24 e 31 deste mês, esses estabelecimentos possam funcionar depois das 23h.

Punições ao descumprimento

“As principais irregularidades são aglomeração, circular no local sem uso da máscara, não manter o distanciamento de dois metros das mesas e condições de higiene precárias”, enumera Márcia Olivé.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A gestora explica quais são as penalidades para os estabelecimentos flagrados descumprindo as normas de segurança sanitária: “O não cumprimento das regras pode acarretar multa que varia de R$ 2 mil a R$ 70 mil; e, dependendo do risco iminente à saúde do consumidor, o estabelecimento também pode ser interditado”.

Márcia lembra que a população também pode fazer denúncia quando observar que alguns estabelecimentos estão desrespeitando as regras estabelecidas no decreto do GDF referente ao controle da pandemia de Covid-19. O telefone 162 é o principal canal para receber denúncias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade